Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Distopia não é para os fracos

A pouco tempo fiz uma análise da 5° temporada de bleck miror (se tem o interesse de ler, está disponível no perfil com o título de "a farsa da programação") e não pesava que iria fazer outra por enquanto, dessa vez vou falar sobre "Extinção" de 2018.
Caso não goste de spoler, recomendo assitir lo, antes de continuar a leitura).

O enredo acontece em um universo dividido entre sintéticos e humanos, onde os sintéticos são inferiorizados, só nesse início direção já e possível encontrar nexos com a luta de diversos grupos socniais como as causas raciais, que foram separados por uma guerra, e isso me remeteu ao  apartheid.
Ao andar da história sabemos que os humanos perderam a guerra e que foram colonizar Marte, se esse filme fosse de cunho social e político brasileiro, saberíamos que essa informação e uma alusão a teoria da ideologia de gênero, onde pesam que o feminismo quer se tornar um novo machismo, para essa teoria um grupo social domina o outro e passa agir como o outro, seria como o sintéticos apagando a memória, para esquecer de tudo que levou a atual situação entre eles e os humanos.
E analisando a situação como uma realidade alternativa para a composição desse texto, podemos chegar a conclusão que para os sintéticos tal termologia usada para segregar, seria muito pejorativa pois ao pequsar o temo na Wikipédia temos como resposta: "São elementos instáveis, e com meia-vida pequena de tal modo que não teriam sobrevivido à época atual, desde a formação da Terra."
Mas o que mais chama a atenção no filme de um humano para os sintéticos dando uma chance de sobrevivência, para desocupação durante a guerra para retomada do território, fazendo com oq sintéticos, tenham que fingir para as montanhas, cena essa que também me remeteu a história brasileira, quando os ex escravos, estavam a margem da sociedade, e foram morar em cortiços e posteriormente em favelas, que por coincidência, a grande maioria ficam em morros a margem da grande cidade.
Apesar de toda a ma avaliação da crítica especializada, o que esse filme deixa bem claro, e que, não dá para fazer uma boa distopia sem haver uma crítica aos problemas reais, sabendo observar isso você passará a gostar desse gênero.
Levi Silva
Enviado por Levi Silva em 19/01/2019
Reeditado em 20/01/2019
Código do texto: T6554917
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Levi Silva
Irecê - Bahia - Brasil
71 textos (1052 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/11/19 00:12)
Levi Silva