Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

JOÃO E MARIA...MODERNOS



Letra - CHICO BUARQUE DE HOLANDA  ---  Música - SIVUCA  ---  Inspiração na obra tradicional, conto dos IRMÃOS GRIMM.

Eterna modernidade do antiqüíssimo CONTO DE FADAS:   tradição X modernidade (ruptura, novas versões, aproveitamento do tema (abstrato) em assunto (concreto) novo, conto de fadas revisitado.

ESTRUTURA DO POEMA  em 4 estrofes:

“1--- Agora eu era o herói (...) Para as matinês.

2---Agora eu era o rei (...) E andava nua pelo meu país.

3--- Não, não fuja, não (...) Acho que a gente nem tinha nascido.

4 --- Agora era fatal (...) O que é que a vida vai fazer de mim.”

T E M Á T I C A:  Qual o assunto principal do texto?  -  Recordações da infância do poeta.

 O texto pode ser dividido em duas partes.  Relacione o título de cada uma:

(a)               Primeira parte / De “Agora eu era o herói” até “tinha nascido”.  --- (b) Segunda parte / De “Agora era fatal” até “vai fazer de mim”.

( b ) Realidade atual - vida presente  ---  ( a ) Faz-de-conta - lembrança

DIFERENTES FORMAS DE ARTE - COMUNICAÇÃO - Relacione:

Ficção em geral - mundo do faz-de-conta (1) ; Personagens - literatura - João e Maria (2) / cinema - cow boy (3) / cinema - alemães (4) / cinema - matinês (5) / música - rock (6)

( 1 ) “Era uma vez” (início da narrativa tradicional) / ( 4 ) Filmes de guerra - povo bélico desde o primórdios (bárbaros, nazistas) / ( 3 ) Herói de bang-bang (onomatopéia - som de tiro de revólver, faroeste, western) / ( 2 ) “Nós, a gente” (imaginados em carne e osso) / ( 6 ) Ritmo musical estrangeiro (ainda atual) / ( 5 ) Sessão de cinema à tarde (horário infanto-juvenil)

VOCABULÁRIO (com uso de dicionário) - Relacione:

1-PALAVRAS - (a) “Agora eu era o herói” / (b) “Eu enfrentava os batalhões” / (c) “Era o bedel” / (d) ‘.e era também juiz) / (e) “No tempo da maldade” / (f) “Agora era fatal”  -------  2-SIGNIFICADOS - ( f ) Determinado, inevitável, fixado pelo destino / ( c ) Chefe de disciplina escolar  / ( e ) Malícia, perversidade, maledicência / ( d ) Membro de um júri que tem o poder de julgar / ( b ) No singular, unidade tática de um regimento militar / ( a ) Pessoa extraordinária pelos seus fatos guerreiros ou seu valor

SINÔNIMOS :  Que outros nomes você conhece para o “bodoque”?  -  “Guardava o meu bodoque” = estilingue, tiradeira, funda.  -------  Substitua as palavras ou expressões destacadas por outras do mesmo sentido ou significado:  “O seu bicho PREFERIDO” = predileto, escolhido, selecionado / “Que o FAZ-DE-CONTA terminasse assim” = sonho / “e era tão linda de se ADMIRAR” = contemplar

MINI REDAÇÃO  (aprox. 10 linhas) - Como você se sentiria sendo o protagonista (personagem principal) de um FILME ou CONTO DE FADAS ou de uma TELENOVELA?

ESTÍMULO EMOCIONAL  -------  EXPRESSÃO ORAL - Estórias maravilhosas cheias de magia e fantasia que a gente “fazia de conta” que acredItava, como BRANCA DE NEVE, A BELA ADORMECIDA, CINDERELA... -  Você recorda muitas destas estórias ou contos de fadas, bruxas, príncipe, princesa, dragões.  Conte-a para nós.  -------  EXPRESSÃO MUSICAL - Pois o CHICO (sobrinho do dicionarista AURÉLIO) fez também uma música do “faz-de-conta que .........” - Vamos cantá-la?

 

 

QUADRO-DE-GIZ:

CONTO TRADICIONAL x MODERNIDADE

C O M U N I C A Ç Ã O

Modelo na telenovela (origem na literatura) “Era uma vez...” (introdução à narrativa tradicional dos contos de fadas),  161  capítulos, 1998, tv Globo.  ---  TV, cinema e teatro vem depois do livro, tomado como roteiro ou resumo da estorinha.

Figura dO HERÓI - sempre vitorioso após enfrentar muitas lutas perigosas, monstros etc.  ---  ANTI-HERÓI - o inimigo ou herói atrapalhado, às vezes dá certo por acaso.

A METAMORFOSE (mudança de forma - abóbora virar carruagem ou sapo virar príncipe, por exemplo) está fora das leis da natureza, como também os poderes mágicos de fadas, bruxas, sacis, espadas invisíveis, palavras, talismãs e objetos mágicos, mas o leitor “aceita” essa sobrenatureza, como sendo própria da FICÇÃO em geral.  Esse tipode narrativa chama-se maravilhosa, com personagens, fenômenos e objetos mágicos.  (Meserani, Col.2, p.92)

                                   F  I  M

 
Rubemar Alves
Enviado por Rubemar Alves em 01/07/2017
Código do texto: T6042449
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Rubemar Alves
Salto - São Paulo - Brasil, 50 anos
448 textos (12050 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/17 00:59)
Rubemar Alves