Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CERRADO! PALAVRA DITA.
 
O calor agoniza, a alma, a calma, essas chamas!
O fogo que queima, o cedro, a sucupira, o ipê,
Animais em fuga, morrem, a natureza reclama,
De quem é a culpa? É de todos, minha, de você?
 
Já não vejo a cor, das flores, que já não respiram...
Que tentam sobreviverem, ante o ar, rarefeito, seco?
As aves, revoavam o céu lindo de Brasília, sumiram,
O tempo tomou de assalto, o planalto, isso não é típico.
 
Será que é castigo, essa seca, esse ar, a umidade finita,
Ou é um aviso, da natureza, contra a impureza plena,
Dessa raça, que desperdiça a caça, a água, a savana.
 
Queimando o cerrado, transformando tudo em chama,
Como quem não precisa, acha que a natureza é infinita,
Desconhecendo o cerrado, criado por Deus, palavra dita.
 
Léo Pajeú
Enviado por Léo Pajeú em 13/09/2017
Código do texto: T6112810
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre o autor
Léo Pajeú
Brazlândia - Distrito Federal - Brasil, 56 anos
817 textos (74317 leituras)
10 áudios (300 audições)
1 e-livros (142 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/17 13:35)
Léo Pajeú

Site do Escritor