Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CAIXINHA DE SURPRESAS!

"Sob a lua prateada
Tornas minha alma encantada
Ao estar nos braços teus."
(Maria de Fátima Delfina de Moraes)

 CAIXINHA DE SURPRESAS!

Sou teu amor, teu amor é meu vício,
Pra dizer: és Rainha e sou o teu Rei,
Essas coisas da paixão, loucuras sei,
Que faz a vida do amante um hospício.

Morrer de amor, esse ato é um suplício.
Suicídio, acho, eu não cometerei
Pois vivendo todo tempo assim terei
Pras conquistas, esse ardoroso ofício.

Bom é se amar o amor necessário
Sem ruir castelos, erguer fortalezas,
Real poema... Nada imaginário!

Se esse amor dará certo, são incertezas.
Se o passar do tempo é nosso adversário,
Ser feliz é u'a "caixinha de surpresas"!

26/12/2009 - DILSON/SPVA/NATAL/RN.
*********************************
INTERAÇÃO EM RÉPLICA:

Em resposta imediata ao teu convite, beijo na alma.
(Fatinha)

CAIXINHA DE GRANDEZAS!
 
Maria de Fatima Delfina de Moraes
 
És meu amor, e sei, o meu amor é teu bem;
ser Rainha, não sei, mas por certo és meu Rei!
Entendo de loucuras, de ternura e paixão.
Só sei que na vida do amante não se hospeda solidão.
 
Ah, meu Rei! Quero mais é viver de amor...
Suicídio, nem pensar, pois toda a minha vida terei
para estar a teu lado, mostrar o quanto te amarei;
encontrei a moeda da sorte, quando o meu coração entreguei.
 
Com o tempo já não me importo...
Jamais deixarei que seja nosso adversário,
pois amar-te será o meu lema.
 
Bom é amar assim, sem fazer do amor o calvário;
a cada dia mais terno, em nossa “caixinha de grandezas”
o teu amor eternizará doçura em cada estrofe de meu poema.
 
DILSON POETA
Enviado por DILSON POETA em 20/03/2017
Código do texto: T5946894
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
DILSON POETA
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 66 anos
1334 textos (63483 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/03/17 21:36)
DILSON POETA