Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENSAIO SOBRE A CEGUEIRA


Título: Ensaio sobre a cegueira
Autor: José Saramago
Editora: Companhia das letras
310 páginas

        Um motorista parado no sinal, subitamente se descobre cego. É o primeiro caso de uma “treva branca” que logo se dissemina pela cidade inteira.
        Confinados em quarentena, os cegos vão se descobrir reduzidos à sua essência humana, convivendo com o medo, a desconfiança, em meio ao caos em que logo se percebem envolvidos, com o preconceito, o desespero e até mesmo a resignação e submissão.
        Com o conflito estabelecido, temos cegos se aproveitando de outros cegos, cegos odiando outros cegos e cegos mais fortes e em maior número, impondo suas vontades aos considerados mais fracos ou quem sabe, covardes, obrigando-os a satisfazerem seus instintos mais baixos no campo do sexo. Cegos que também passam a controlar e a lutar pela comida.
        Nesta impactante e violenta fantasia, “pois nunca se viu de fato uma cegueira branca, feito mar de leite”, Saramago nos apresenta personagens sem nomes próprios, sendo reconhecidas apenas por suas características  como a rapariga dos óculos escuros, o rapazinho estrábico, o velho da venda preta, o cego da pistola etc.
        Muitos leitores consideram “a mulher do médico”, única a não ser acometida pela estranha cegueira, embora ocultasse o fato de todos para poder permanecer junta ao marido na quarentena, como a protagonista da história, pois é ela quem tenta ser útil aos demais e parece guardar mais lucidez em meio a toda aquela desordem coletiva. Pelas palavras e pensamentos do autor, a mulher do médico parece oscilar ao longo da narrativa entre o peso de ser a única com visão e responsabilidade de cuidar daquela gente e um misto de sentimentos que misturam desesperança, o medo de ficar cega e a tensão provocada por ter de manter sua visão em segredo.
        Na verdade, Ensaio sobre a cegueira é uma história sem protagonistas, onde todas as personagens são reduzidas a uma única coisa: um ser humano colocado diante de situações extremas, quando afloram sentimentos como o egoísmo, a raiva e ainda que momentânea, a afeição. Sombras caminhando, unidas ou desunidas, a passos lentos para a luz (branca), mas, ainda sombras.
        Por que ficaram cegas repentinamente e por qual causa desconhecida foram recobrando a visão do mesmo modo? O autor não nos oferece nenhuma explicação para estes fatos, como a nos lembrar de que muitas pessoas, embora vejam tudo, vivem na sua cegueira cotidiana.  Portanto, é sobre “a cegueira” voluntária ou involuntária dos homens e suas consequências, que José Saramago, com os seus diálogos sem travessão e aspas, nos fala neste livro impregnado da imprevisibilidade humana.
        Em 2008, Ensaio sobre a cegueira ganhou uma versão cinematográfica dirigida pelo diretor Fernando Meirelles.
Aldrin M Félix
Enviado por Aldrin M Félix em 11/10/2017
Código do texto: T6139294
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Aldrin M Félix
Ribeirão Preto - São Paulo - Brasil, 41 anos
384 textos (37141 leituras)
2 áudios (68 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 18:46)
Aldrin M Félix