Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Como fazer a barba da melhor forma

Direi pois, que barba não possuo, mas porquê não escrever sobre isso?
Porque deixar o fato do meu sexo parecer "inútil" nesse caso? Mas não é. Modéstia parte, faço uma barba como um macho já prendado.
As regras são básicas, pois não existem! Isso mesmo, você simplesmente faz.
Umedece a pele com seus dedos, ou pode até usar um material se preferir, porém, toque-se!
Espume o rosto com agressividade de um ogro, até que as bolhas subam nas quatro paredes, e depois... Bom depois você corta.
Sobe,
Desce,
Limpa,
Suja,
E começa tudo de novo.
Observa,
Toca,
Borra,
Erra,
Só isso? Não! Nunca um "só"
Você acaba de conhecer seu corpo, de reconhecer seus erros e talvez até aceitá-los, mas se aquele pelo não te incomoda tanto,
fique com ele, a regra é sua, e quem tem o poder do rotulo agora é você.
Continuando...
Espelho,
Uma parte não feita,
Você,
Começa de novo,
Se irrita por não conseguir tirar aquele filho único,
Pensa que pode deixá-lo ali (e você pode!)
Mas prefere tentar o cem por cento,
Pra ganhar aquela passada de mão,
E aquele sorriso que tanto gosta quando ela o vê com a barba feita,
Não é mesmo?
Pronto,
Acho que agora sim,
Mas espera...
Faltou o bigode!
Por que mandá-lo embora ralo abaixo?
Vou deixar!
Barba feita,
Já o bigode,
Nem tanto.
Pensa que acabou por aqui?
Não mesmo,
Não é só fazer a barba,
Não é só retirar os pelos do rosto
Vai muito além disso.
Mas, agora paro e penso... "O que realmente está faltando?"
Terminamos a mão de obra por aqui
Não há mais pelos (exceto o bigode)
O melhor jeito que há para poder fazer/finalizar é o seu próprio jeito,
Agora me diz,
Quando foi que fazer uma "simples" barba, foi tão profundo?
Pode ter pensado que eu estaria aqui te ensinando como passar o gilete, por exemplo (de cima para baixo),
Ou como fazer a espuma perfeita,
O risco perfeito,
Mas a melhor forma de se fazer uma barba,
E se permitindo,
Olhe,
Encare,
Se sinta,
Se encontre,
Se ame.
Sua barba não precisa ser feita,
Mas se fizer,
Não se esqueça de usar teus próprios atos,
Como se fosse sempre a última barba a ser feita.
E quando chegar no tão esperado fim,
Não te assombres com o resultado,
Porque nesse procedimento estará nascendo um novo homem.
No meu caso, estarei "parindo" um novo homem,
Usando um aparelho de barba,
Água, espuma, uma toalha,
Meu cuidado,
E dedicação.
Nesse ato de higiene para alguns,
Ou conforto para outros,
Nasce um novo ser humano que poderia estar se escondendo atrás dos pelos,
Dos milhares filhos únicos existentes em um só rosto,
Esperando ansiosamente alguém para o ressuscitar,
Do caos,
Da tristeza,
Da incerteza,
Do medo,
Da insegurança,
Talvez?
Ou somente pelo fato de querer mudar.
De impressionar, não somente quem está do lado, mas a ele mesmo.
Mas na real, o que realmente importa em meio a tantas palavras que deixei nesse texto é que não importa, nada disso importa, se você apenas ler. Não importa se olham, se te julgam, se te encaram, mas quando você reflete naquele espelho do banheiro, e toma a decisão de mudar, ai sim importa. Seu julgamento é importante, seu gosto, seu jeito, seu medo, então se arrisque, por você.

 
Yasmin Silveira
Enviado por Yasmin Silveira em 09/01/2017
Código do texto: T5877222
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Yasmin Silveira
Campinas - São Paulo - Brasil
25 textos (666 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/05/17 19:27)
Yasmin Silveira