Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

# Kalúnia 124 # As elites brasileiras e seu ilustre membro ex-deputado - Fabio Meirelles - presidente da Federação de Agricultura do Estado de São Paulo

 - Um jornal de boatos confirmados -

   O grande mal do Brasil, no dizer da maioria dos experts, é uma população despreparada, uma economia pouco competitiva; ao contrário de um empresariado extraordinário e uma indústria que só não vinga devido aos entraves sociais e à sanha tributária do Estado.
   Em uma recente entrevista à Folha de São Paulo, o economista norte-americano Tyler Cowin observou, em paralelo à decadência do seu país.
-- Estamos envelhecendo, ficando parecidos com a Europa Ocidental ou com as elites do Sul e Sudeste do Brasil. Isso é preocupante.”
   Pois aqui  no Brasil é impensável criticar as elites, não só do Sul e Sudeste, como todas - sendo que as primeiras constituídas pelos fazendeiros, empresários, profissionais liberais e políticos dominantes do poder.
   Quem há de negar que tais elites nunca são abaladas pelas crises que vira e mexe mantem e tornam à miséria a maior parte da população do país ?
   A zona de conforto das elites do Rio Grande do Sul a Minas Gerais vive, inclusive, atualmente, o maior triunfo da história, depois de colocar um político profissional conservador no poder, como presidente a mando pleno dos potentados financeiras, industriais e rurais do país.
   Agora mesmo, uma das faces destas elites foi por acaso desvendada quando a mesma Folha de São Paulo descobriu que o ex-deputado federal e presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Estado de São Paulo (existe!) – Faesp – sr. Fábio de Salles Meirelles - emprega cinco filhos e um sobrinho na entidade mantida por imposto sindical.
   Não só, a reportagem da Folha constatou, ainda, que uma copeira da federação trabalha, é mesmo, no apartamento de Tânia Meirelles, filha do ex-deputado; e que a Fapesp alugou por R$ 20 mil os salões do Iate Clube de Higienópolis, na capital paulistana, para uma festa particular do senhor Meirelles.
   Afinal, a empresa Connect, encarregada da cobrança das taxas sindicais da Faesp, pertence nada menos do que a Telma Meirelles, outra filha do senhor Fábio.
   Já o filho Tirso Meirelles, "trabalha" no Conselho Nacional de Pecuária de Corte (existe!) – CNPC – Tarso Meirelles (irmão) é agrônomo (pelo menos) do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural de São Paulo – SENAR/SP (equivalente ao SESI); e Fábio Meirelles Filho preside o Instituto Pensar Agro, o IPA.
   
Fábio Meirelles pai é presidente da Faesp há 42, qua-ren-ta e dois ! anos, desde 1975 !!

   “Ele é um dos mais destacados líderes ruralistas brasileiros”, afirma nota da Faesp à Folha contestando a reportagem. A nota continua, “com a vida dedicada à agropecuária”. E como !”Ele atua na entidade há mais de 50 anos e tem sido um dos defensores dos interesses das produtores e trabalhadores rurais.” Que o diga o Movimento dos Trabalhadores sem Terra – MST.

PERFIL DE FÁBIO MEIRELLES no SENAR: “ Seu curriculum é enriquecido por funções representativas de eleição, cargos públicos, atividades políticas, empresariais, condecorações, títulos de cidadão, comendas, troféus, medalhas, obras publicadas, missões no exterior, palestras em congressos. Resumindo, podemos dizer que Fábio Meirelles é um dos mais representativos líderes rurais que surgiu no Brasil nos últimos 50 anos. Indiscutivelmente seu trabalho beneficiou toda a agricultura brasileira, pois sempre pensou na integração nacional. Qual o mais representativo? Não sabemos e provavelmente Fábio Meirelles não sabe e nunca saberá, porque para ele todos os títulos que ganhou são como filhos. Nenhum é melhor do que o outro. Todos têm o mesmo valor. Citamos alguns de maior destaque: TÍTULO "DOCTOR SOCIAL SCIENCES HONORIS CAUSA", conferido pela Universidade Internacionallis Superiorum "PRODEO" ,"International Solidarity Center Of New York, em 1978; MEDALHA "AMIGOS DA MARINHA", outorgada pela Comissão Naval em São Paulo, em 1980; COMENDA "ORDEM DO MÉRITO DO TRABALHO", no Grau de Comendador, concedida pelo Presidente da República em 1984; COMENDA DA ORDEM DO MÉRITO MILITAR, no Grau de Cavaleiro, concedida pelo Ministro do Exército em 1986; MEDALHA ALMIRANTE TAMANDARÉ, recebida do Ministro da Marinha em 1987; ORDEM DO MÉRITO MILITAR - Grau de Comendador, conferida pelo Presidente da República em 1991; MEDALHA "SANTOS DUMONT", conferida pelo Ministro da Aeronáutica, em 1992 e a COMENDA DA ORDEM DO MÉRITO JUDICIÁRIO DO TRABALHO, conferida pelo Tribunal Superior do Trabalho em 1998; empossado em 2003 membro da ACADEMIA NACIONAL DA AGRICULTURA, ocupando a Cadeira de nº 35, órgão da Sociedade Nacional da Agricultura, uma das mais antigas entidades do mundo rural, com 100 (cem) anos de existência; MEDALHA O PACIFICADOR DA ONU SÉRGIO VIEIRA DE MELLO, outorgada pelo Parlamento Mundial pela Segurança e Paz, em 2005 e a COMENDA DE GRANDE OFICIAL NA ORDEM DO MÉRITO MILITAR, outorgada pelo Exército Brasileiro, em cerimônia no Comando Militar do Sudeste, em abril de 2006. Em cerimônia realizada auditório do SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, em Brasília, DF, recebeu o TROFÉU DOM QUIXOTE DE LA MANCHA E SANCHO 2 PANÇA, outorgado pela Confraria Dom Quixote e Revista Justiça e Cidadania, em 29.11.2006, além de ser agraciado com mais de uma centena de títulos de Cidadão Honorário nos estados de Minas Gerais e particularmente, São Paulo. Recentemente recebeu a Honraria de Presidente de Honra da mais nova COMISSÃO DE DIREITOS AGRÁRIOS da OAB – São Paulo e de Engenheiro Agrônomo Benemérito concedida, por unanimidade, pela Associação dos Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo. Formado em Ciências Jurídicas e Sociais, exerceu os cargos de Presidente do Banco Nacional de Crédito Cooperativo - BNCC, Presidente do Instituto do Café do Estado de São Paulo e Diretor de Crédito Rural e Agroindustrial do BADESP. Chefiou Delegação de empresários brasileiros junto à OIT, coordenando inúmeras conferências nacionais e internacionais, além de ser Vice-Presidente do CODEPA – Grupo Executivo do Programa do Álcool. Eleito Deputado Federal por São Paulo, em 1990, integrou as Comissões de Agricultura e Política Rural; Economia, Indústria e Comércio; Defesa Nacional; Constituição e Justiça e Orçamento. Iniciou sua participação na liderança do setor agropecuário nos idos de 1948, na antiga FARESP, fundada há mais de 60 anos por Iris Meinberg e presidida sucessivamente por Clóvis Salles Santos, Luiz Emanuel Bianchi, Odilo Antunes Siqueira e, desde 1975 por Fábio Meirelles, já com a denominação de FAESP - Federação da Agricultura do Estado de São Paulo. Juntamente com Eurípedes Lins, presidente da Federação da Agricultura do Amazonas, encontra-se em atividades de liderança no sistema CNA, quando ainda era denominada Confederação Rural Brasileira - CRB, com sede no Rio de Janeiro. Está integrado e participa em cooperativas agrícolas e inúmeras entidades associativas rurais, em vários estados Brasileiros. Além de ser um dos primeiros Conselheiros do SENAR Nacional, também implantou o SENAR em todo o estado de São Paulo. Participou da diretoria da CNA durante os mandatos de 1979 a 1990 e de 1993 a 1996. Exerceu o cargo de 1º Vice-Presidente durante 05 (cinco) mandatos (1990 a 2007) e, a partir de julho de 2007 passou a presidir a Instituição, bem como, o Conselho Deliberativo do SENAR, órgãos sediados em Brasília. Acumula, ainda, a Presidência do Conselho Administrativo do SENAR-A.R./SP, onde responde desde 1993 e em dezembro de 2000 foi eleito, por unanimidade, Presidente do Conselho Deliberativo Estadual do SEBRAE-SP. Na gestão de 2004/2006 ocupou a 3 Vice-Presidência do referido Conselho e, em dezembro de 2006, foi eleito, por unanimidade, para mais uma gestão (2007/2008) frente ao SEBRAESP. Fábio Meirelles chegou onde chegou porque tem o dom nato da liderança e virtudes pessoais que o capacitaram para isso: espírito público, habilidade política, temperamento conciliador, palavras fáceis. Nos cursos sempre foi o orador oficial da turma, a começar na faculdade onde formou-se advogado. Eficiente administrador rural, Fábio Meirelles é proprietário no Estado de São Paulo, onde produz café, milho, sementes, soja, com altos níveis de produtividade. É ainda criador de gado de corte, de leite e de cavalos, não se descuidando de suas propriedades, inclusive, na da defesa ambiental. Há mais de quarenta anos desbravou, implantou e desenvolve atividade agropecuária no Altiplano Central, no único ponto do Estado de Minas Gerais que toca no Distrito Federal. Fábio de Salles Meirelles é natural de Cajuru, passou a sua infância estudando em Ribeirão Preto e é empresário rural em Franca, interior paulista. É casado com a professora Ivelle Lacerda Meirelles, com quem tem sete filhos, quatorze netos e uma bisneta.”
   
 Chega ?
 
////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////
Zulcy Borges - editor e jornalista diplomado
Enviado por Saskia Bitencourt Borges em 14/03/2017
Reeditado em 30/05/2017
Código do texto: T5940469
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Saskia Bitencourt Borges
Itajubá - Minas Gerais - Brasil, 46 anos
217 textos (3197 leituras)
1 e-livros (12 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/07/17 07:33)