Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Outonal de flores desertas de jardins

O dia amanheceu em pétala ao contrário...
Outonal -  deserto de  flores, folhas e jardins ...
Folhas secas singram nos monturos de versos cobertos por olhos d'água.
Tordos margeiam  riachos de olhos nublados à procura de seus penachos alinhavados nas penas da correnteza.
Do outro lado dos escombros  Éolo sopra pólen em  nuvens nimbus até que se sujem todas e adormeçam entre formigas e raízes no chão morno junto aos detritos do ocaso.
Heras se escoram nos caules de estrelas que brotam de Vênus criando raízes no chão enxovalhado de vaga-lumes.
Duendes e gnomos se camuflaram de cogumelos roxos no tronco de uma lua oca de grilos de bicho de pau.
Assobiam os primeiros ventos de outono no bico do sabiá-laranjeira reduzindo o fogo digestivo do sol a um brilho novilúnio retratado em tons de azul.
O outono se prenuncia no declínio da paisagem, no suicídio das folhagens, na exuberância das cores que aquarelam o chão com cascas de pérolas secas.
Essa aragem outonal desabotoa os meus olhos de paisagens alargados de brancuras e devaneios de eclipse de refegos de horizonte.
Por uma fresta larga das horas enrosco-me no vento alísio em caracol e numa coreografia vegetal me misturo às folhas amareladas pelo chão.
Outonei-me!
(Edna Frigato)

Edna Frigato
Enviado por Edna Frigato em 20/03/2017
Reeditado em 25/03/2017
Código do texto: T5947293
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Edna Frigato
São Paulo - São Paulo - Brasil
991 textos (191250 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/03/17 21:35)
Edna Frigato