Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto


O que faço




Quis andar sozinha sem rumo.
Fui peregrina do desconhecido,
Saciei a minha fome com flores secas
despetaladas pelo vento.
Fiquei perdida no caminho perguntava a mim mesma;
O que faço?
- Não faço.
Dormia sem lençol, sem amor, eu era uma triste mulher feia,
A vida me largou ao relento.
Os meus olhos buscavam o véu do tempo.
Agasalhei-me à sombra das árvores,
A minha alma adormecia neste grande sofrimento...
Um dia destes, de tudo me cansei,
até mesmo de mim,
resolvi colocar os meus velhos sonhos ao sol,
pois que eles não ressequem
feito o caule dos frágeis arbustos,
Quero a esperança dentro de mim.

- Liduina do Nascimento














.

 
Liduina do Nascimento
Enviado por Liduina do Nascimento em 17/02/2017
Código do texto: T5915532
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Sobre a autora
Liduina do Nascimento
São Caetano do Sul - São Paulo - Brasil
1758 textos (67837 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 25/06/17 00:40)
Liduina do Nascimento

Site do Escritor