Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O que ficou de você, passado todos esses anos,
Agora que eu já sou avó, e tento palidamente, ser você para minha neta.
O seu brilho, foi uma característica muito sua, que fazia parte da sua risada, e morava nos seus olhos.
Falar de você é acrescentar saudade à tão já vasta saudade acumulada!
Mas falamos! E como falamos!
 Mantemos sua presença viva com palavras.
Ainda esses dias, fui falando de você para Alice, minha neta.
Ensinei a ela a sua música. Aquela que nos acordava, de forma alegre, trazendo alegria às nossas manhãs. Não me lembro de me incomodar de acordar cedo, nos meus dias de ontem, com a sua cantoria.
https://www.youtube.com/watch?v=gPcSosassRc
Era alegria ao começar o dia.
Não consegui, é claro, o mesmo sucesso com Alice, mas te digo que ela adorou. E rapidinho decorou o refrão.
E fizemos o mesmo ritual todos os dias em que lá estive.
Falei de você para ela.
E não pude deixar de contar a famosa “história dos 40 bois”
Não fiz justiça a você. Não me lembrei de tosos os detalhes, não consegui dar o mesmo brilho ao enredo, mas contei...
E assim como era conosco...
Ela também ria, e pedia...
De novo!
E eu repetia tudo de novo!
Foi tão bom contar de você!
Ela sabe de você!
Quem você foi para nós, o que deixou de herança.
Quero-te vivo sempre, no meu coração, pois és, ainda, minha mola propulsora, com a lembrança dos seus ditos.
Você foi tanto amor!
Sou feliz por ter todas essas lembranças de você!
Tentei passar para os meus filhos, mas sou, apenas, mãe, como sei ser.
Não saberei nunca, ser o pai de entrega, calada, que você foi.
Doação extrema de si mesmo!
A vida nos leva, dia a dia, a entender e a mensurar a extensão de tudo.
Amei-te e te amo hoje, de forma amadurecida e mais grata.
O que ficou de você, meu pai,
O que contarei e recontarei com muito orgulho para Alice e outros netos.
Assim como contei aos meus filhos.
Assim como conto às pessoas.
Assim como você se apresentou ao meu esposo, e hoje tenho um grande amigo.
O que ficou de você, meu pai,
É uma herança que traça nenhuma dará fim,
A ela acrescento tentos, que minha saudade relembra e traz vida à minha vida.
O que ficou de você, meu pai,
Foi o que você foi.
Amor eterno.
 
Irani Martins
13/08/2017
 
(você se foi em um dia dos pais)
 
 
 
Irani Martins
Enviado por Irani Martins em 13/08/2017
Código do texto: T6082430
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Irani Martins
Urânia - São Paulo - Brasil, 62 anos
98 textos (562 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:07)
Irani Martins

Site do Escritor