Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ALÉM DE MIM - FORÇA QUASE BEM VINDA - CAP. VI

                                   
                                FORÇA BEM VINDA – Capítulo VI

                                    Malas prontas para a viagem, Andreia vestida nas roupas do marido, começaram as despedidas.
- Eu levo vocês até o aeroporto depois que a gente passar lá em casa pra apanhar as chaves do ap, falou Lúcio.
- Não sei nem como te pagar, cara.
- Calando a boca, falou ele, abraçando o amigo. – Fica sossegado. Vai acabar tudo bem.
   A campainha da porta tocou. Os quatro olharam para ela espantados.
- Quem pode ser? – Ângela perguntou.
  Renato foi atender. Era Bruno, que entrou sem ao menos ser convidado.
- Posso falar com a minha irmã?
- A Andreia... não está.
- Como não está? Pra onde ela foi?
- Eles vão... viajar pro Rio e ela... foi se despedir de uma amiga que mora aqui perto, disse Lúcio.
- Não perguntei pra você, ele disse, bruscamente, sem olhar para ele.
- Desculpe, majestade, ironizou Lúcio, em voz baixa.
- O que foi que você disse?
- Nada, eu não disse nada...
- Olha aqui, cara, eu...
  Bruno ia investir contra Lúcio, mas Renato segurou seu braço.
- Calma, rapazinho, na minha casa, não!
  Bruno deu um soco em Renato e instintivamente Andreia deu outro nele também, fazendo-o cair desmaiado. Ninguém acreditou no que viu, nem ela, que ficou olhando para a mão fechada. Renato levantou-se surpreso.
- Poxa, benzinho, não imaginava que você fosse tão forte!
- Não era, ela falou. – Esse garoto precisava disso faz tempo. Nem acredito que eu pude fazer isso eu mesma... ou eu mesmo, sei lá.
   Todos riram.
- Vão embora antes que ele acorde, disse Ângela. – Eu fico com ele e explico tudo com calma.
- Você não vai ficar sozinha com ele, disse Lúcio.
- Não tenha medo, Lúcio, falou Andreia. – Quando o Bruno acordar, vai estar com tanta raiva querendo saber que o nocauteou que nem vai se lembrar de cantar a Ângela.
- Que é que eu falo pra ele? - perguntou Ângela.
- Diz que eu sou... um colega de infância dele que tinha umas contas pra acertar, Andreia respondeu, batendo de leve no rosto de Bruno. – Tchau, colega.

   Eles saíram. No aeroporto, mais despedidas.
 - Façam uma boa viagem, falou Lúcio, apertando a mão do amigo. – A gente cuida de tudo por aqui.
   Renato o abraçou e agradeceu.
- Vou ficar te devendo mais essa.
- Não vai ficar me devendo nada. É o mínimo que eu poderia fazer por duas pessoas que eu amo.
   Ele voltou-se para Andreia, ficou olhando para ela e disse, com um sorriso:
- Sabe... eu tenho saudade de você como Andreia, mas já estou te achando um cara muito legal.
   Ela o abraçou forte e demorado. Renato pigarreou.
- Você está com ciúme dela ou preocupado por mim? – Lúcio perguntou.
- Ambos, ele respondeu rindo. – É melhor a gente ir. Tchau, Lu.
- Tchau, boa viagem.

                                 ALÉM DE MIM - CAP. VI
Velucy
Enviado por Velucy em 12/09/2017
Reeditado em 16/09/2017
Código do texto: T6112299
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Velucy
São Paulo - São Paulo - Brasil
143 textos (675 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/09/17 13:28)