Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O LEGÍTIMO

                   



                  TODO HOMEM TEM UMA FERA DENTRO DE SI
                          ÀS VEZES ELES SE CONFUNDEM
                        ÀS VEZES SÓ UM DELES MANIFESTA
            É UMA LUTA CONSTANTE PARA VER QUEM PREVALECE




                                                 


                                           





                                   O LEGÍTIMO
                                  Olhos de Lua



                                 
                                   
Entrevista
Os quatro jovens estavam bem à vontade espalhados no sofá do estúdio de tevê. Costa, o baterista da banda falava com a repórter...
_Eu e o Kristan nos conhecemos desde o fundamental, a gente dividia o mesmo interesse pela música então aprendemos a tocar instrumentos, o kris começou a carregar o violão pra cima e pra baixo, parecia até uma namorada dele...
Risos
_ O Dodô e o Milk também eram da escola, nos conhecemos nas competições musicais, o Milk sempre assistia a gente ensaiando nas aulas de musica.
_ Sim, eu parecia aqueles cachorros que ficam olhando o frango assar na padaria da esquina... _ admitiu o rapaz divertido.
_ Doido pra entrar... _ Dodô reforçou._ Mas tudo ficou oficial mesmo no primeiro ano do médio, fizemos uns vídeos e colocamos na Internet, também participamos dos festivais de música e estamos aí...
_ E essa história de vocês marcarem shows de acordo com as fases da Lua porque o Kristan não canta nas noites de Lua cheia? Isso é verdade ou lenda?_ A tevê do estúdio destacou o belo rosto do vocalista da banda.
_ É uma simpatia que fizemos pra banda dar certo... _Milk brincou e Kristan abriu um largo sorriso que hipnotizou a repórter.
_ É sério? Mas o que rola na Internet é que o Kristan nasceu minutos antes de sua irmã gêmea e que sendo assim ele é o sétimo filho homem em uma família de oito irmãos... Como reza a lenda do lobisomem... _Os rapazes riram com vontade _ Você confirma essa história? _ insistiu a repórter e os olhos do rapaz estreitaram-se chamuscando a bolinha preta em meio à imensidão verde.
_ Eu realmente nasci dois ou três minutos antes da minha irmã...
_ E é um lobisomem?
 Kristan deu mais um sorriso devastador.


Três meses antes...
BR - 381 sentido Belo Horizonte, ônibus da banda Lumens.

“@maluzinha&kristan@Lucastage@cacabonessi@bebelumenete a caminho de Minas galera chove muuuito!!!!Deu aqui p/ mim  moçada, o sono chegou e BH aí vamos nós, abraço pessoal!”
Dodô despediu dos fãs na Internet e viu Milk se aproximar com a câmera do celular.
_ O cara aqui cansou de brigar com o sono..._ dizia o guitarrista enquanto filmava o amigo. Estava ao vivo em sua rede social _ Ta cansado filhão? _ perguntou com uma vozinha engraçada.  Aconchegando-se no banco do ônibus em movimento, Dodô desligou seu celular e sorriu sonolento para o amigo_ Dá chauzinho para as fãs aqui... Isso garoto!_ Milk riu do aceno curto e virou a câmera para o banco do outro lado do corredor_ Costa Junior, meu parça da zueira já caiu também... _ mostrou o baterista dormindo _Tá tão animado aqui gente!_ fez uma careta exagerada, o ônibus estava em silêncio. Ele começou a ler algumas perguntas das fãs online_ "Milk kdê o shake?” Ah boa essa Danizinha, quase ninguém me pergunta isso, outra aqui... "Quando vocês vêm pra cá?"  Pra cá? E onde fica isso linda? _ Ele arregalou os olhos debochado_ Mais uma aqui... “Milk mostra o Kris, plis! Eu escrevi please errado pra rimar” _ Milk riu alto e seguiu pelo corredor parando entre as últimas poltronas do ônibus_ Ouviu essa mano? Boa Camila, aqui está seu príncipe da noite... Da meia noite..._ disse com uma careta de suspense e em seguida focalizou o rapaz vestido de preto sentado no banco da janela. A câmera do celular fixou no rosto belo moreno do vocalista da banda pop rock Lumens, os olhos verdes estreitaram ficando ainda mais penetrantes sob os cílios longos e pretos... Um rosto que arrastava legiões de fãs, a boca bem desenhada curvou-se formando duas covinhas charmosas. Milk voltou a câmera do celular para si_ Aposto que vocês aí morreram com esse sorriso, tipo “Ain morta!” _ debochou entortando a boca, fazendo o vocalista gargalhar_ Chega de Kristan! Vou mostrar a festa que ta rolando aqui iuhul..._ ele ergueu a mão com o celular mostrando ao redor, quase todos dormiam_ Viu como a gente sabe fazer uma festa?
E riu...

Dona Aurora entrou no quarto sem acender a luz, muito aflita a mulher olhou para a cama vazia e intacta...
A claridade do relâmpago atravessou a janela iluminando o quadro sobre a cômoda com a foto de uma garota.
Soluçando Aurora ajoelhou-se diante do móvel e ascendeu uma vela.
Ao gruda-la no pequeno prato juntou as mãos começando a rezar.

Era tarde da noite, ele corria no meio da rua sem movimento da cidade, a chuva intensa já havia encharcado completamente sua roupa. Luzes apagadas, nenhum carro na avenida principal... Mas não estava sozinho... Enquanto corria desesperado ele olhava por sobre os ombros, atrás de si uma sombra escura e gigantesca o perseguia implacavelmente, seus instintos o avisavam... Não era nada daquele mundo... Sentia a força maligna cada vez mais próxima... E sentia também que mal conseguia escapar dela... Quando a mão escura tocou em seu ombro ele não pode mais correr...

Kristan abriu os olhos com o peito arfando... Levou alguns segundos para perceber onde estava...
Ainda no ônibus... Ficou aliviado, aquilo foi só mais um daqueles pesadelos que o assolavam ultimamente... A chuva batia intensa na janela e mais forte que no início da viagem... Afastou a cortina para avistar o lado de fora e deparou com o céu ainda escuro, mas não era somente porque ainda era madrugada, estavam agora numa estrada cercada de mata.

05h13min da manhã... Pontuava o relógio no painel eletrônico do ônibus, Marcos o motorista estava com a atenção redobrada na estrada, a chuva havia intensificado naquelas primeiras horas da manhã e ele mal conseguia ver a pista... Edu abriu a porta da cabine e olhou preocupado para os pingos que batiam no vidro.
_ A coisa tá feia..._ comentou com o motorista.
_ Olhe o painel do GPS!
Edu aproximou-se do painel e franziu a testa confuso.
_ Esses traços azuis...
_ Eles estão piscando porque são os pontos das estradas que temos que passar, elas estão todas marcadas como alagadas... Não tem como a gente seguir por elas...
_ Não fala isso homem!... Temos show logo mais a noite e esses caras precisam de uma parada no hotel...
_Eu gostaria de dar boas notícias rapaz... Mas no meio dessa chuva, a segurança vem em primeiro lugar e nesse painel o único ponto mais próximo e seguro está a pouco mais de meia hora daqui...
_ E onde fica?
_ Aperte o botão 'proximidades’.
O jovem empresário tocou e apareceu o nome da cidade, ele franziu a testa.
_ Tiraninhos?

Recostado no banco Kristan observava a chuva pela janela, o restante da banda ainda dormia... Edu se aproximou com ar desolado.
_ Posso?
Kristan estreitou os olhos.
_ Claro...
_Você é o único que está acordado! Cara... Nós temos um problemão!_ Edu passou as mãos nos cabelos nervosamente_ A chuva ta detonando as estradas, não vai dar pra gente seguir até Minas...
_ E o show..._ O cantor franziu as sobrancelhas.
_Pois é... O Marcão disse que precisamos de um local seguro primeiro porque podemos ficar no meio do caminho e correr o risco de alguma enxurrada arrastar o ônibus..._ Kristan voltou os olhos para a janela_ Se essa chuva continuar do jeito que está não sairemos dessa região e possivelmente não teremos show essa noite...
O cantor franziu as sobrancelhas escuras e espessas, a chuva estava intensa sem trégua... Não estiaria tão cedo... Pensou entretido com os olhos na mata de árvores altas que cercavam a estrada, uma clareira no meio delas chamou-lhe a atenção, Kristan  inclinou o corpo para observar melhor e quando o ônibus passou pela clareira avistou um vulto vindo em direção à estrada.
_ Vamos torcer para que as estradas este...
_ Viu aquilo?
_ Aquilo?_ Edu fitou-o confuso.
_ Tinha alguém no meio da mata, você não viu?..._ o cantor levantou do banco apressadamente e passou pelo empresário correndo pelo corredor.
O ônibus parou a alguns metros da clareira, Kristan saiu dele em meio aos protestos de Edu e do motorista, correu para a parte traseira do ônibus e parou, em poucos segundos a chuva encharcou toda sua roupa. Àquela hora da manhã o céu ainda estava um pouco escuro, o cantor abaixou a cabeça vendo as botas com a sola imersa na água que já tomava conta da estrada. Estreitou o olhar e ergueu o rosto na direção da clareira...  Os olhos verdes dilataram surpreendendo-se com o vulto esguio que acabava de sair da mata... Era uma garota! Ele paralisou atônito, a princípio a chuva impedia que visse nitidamente, mas lá estava ela também parada à beira da estrada olhando em sua direção.
_ Kristan!
O jovem cantor mal escutou a voz do empresário que estava na porta do ônibus. Um tanto intrigado ele atravessou a estrada rumando devagar até a clareira.
A garota...
Cabelos crespos em desalinho totalmente molhados, o que indicava que já estava há um bom tempo andando na chuva. Kristan piscou para dissipar os pingos d´ água que enchia seus olhos. Estava impressionado, a chuva era intensa demais como alguém tinha coragem de enfrentá-la?... Ele parou a poucos metros da estranha colocando a mão sobre a testa para bloquear os pingos e vê-la melhor. Ao fixar os olhos no rosto cauteloso tomou-se de fascínio percebendo o quanto era bonita... Os traços, a pele mulata... A boca carnuda... Os olhos escuros cheios de reserva. Então algo logo desviou sua atenção para um arbusto próximo a ela, o cantor instintivamente a puxou pelo braço colocando-a atrás de si.
_Ei... _ a garota se surpreendeu com o movimento rápido, mas o rapaz estava em alerta para as folhagens. Observou-o seguir devagar até o arbusto e inclinar-se com cautela para a moita. De repente sua expressão suavizou e ele sorriu, dissipando a tensão no rosto bonito.
_É seu?_ Perguntou antes de afastar as folhagens e deparar com um cachorro preto e peludo. O animal rosnou mostrando os caninos para ele e correu para junto da garota.
_Sim...  _ela respondeu intrigada sentindo que seu cachorro estava com medo dele.
O rapaz ficou de pé olhando-os com curiosidade.
_Vocês precisam vir com a gente no ônibus, parece que está tudo alagando por aqui..._ ele estendeu a mão _Vem... Vem comigo... Podemos te deixar perto aonde mora.  _ chamou encarando-a com suavidade o que impressionou a garota, ela mediu o rapaz alto, atlético com calças pretas e jaqueta de couro da mesma cor para então fixar os olhos no rosto bonito... Nos olhos verdes, os mais intensos que já havia visto. Abaixo deles olheiras escuras realçavam a beleza misteriosa... Além de indicar que mal devia dormir...
_Obrigada... Mas já estou perto de casa...  _ respondeu baixo e seguiu para a pista alagada.
_Não, espere! _ Kristan tentou segui-la, mas desistiu ao vê-la disparar já do outro lado da pista. Rapidamente ela e o cachorro sumiram por entre as árvores.
_ Kristan! O que está fazendo? _ Edu correu até ele com uma jaqueta sobre a cabeça para se proteger da chuva.
_ A garota...
_ Que garota cara? Vamos! Está todo encharcado e essa estrada pode sumir a qualquer momento! _ Edu puxou-o de volta para o ônibus.

                                       
                                       
CRamos
Enviado por CRamos em 20/12/2016
Reeditado em 29/01/2017
Código do texto: T5858625
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
CRamos
Guarujá - São Paulo - Brasil
1 textos (35 leituras)
1 e-livros (16 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 26/03/17 19:42)