Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Livro II. Capítulo 3. Porque eu sou poeta! Ha, ha, ha!

Livro II
Capítulo 3.
O que comunica em anjo é a forma das coisas -eis cada símbolo e
As coisas por si só falam e tudo além do que existe e o que não existe,
Tudo é escrito em Deus e significa algo que um anjo quer dizer, por
Isso cada anjo diz algo em cada momento e esa conversa constitue a
Inteligência de Deus -e eu sou Deus, assumo a minha inteligêencia e
Começo a filosofar. Eu sou anjo e renego ao mal humano, eu
Sou o anjo Hugo Proença Simões e a minha linguagem é difícil,
Mas viro filósofo até o máximo e crio a arte de angelicar o angelical:
Anjo significa mensagem dos mensageiros -logo a minha arte é
Escrever anjos. Eu filosofo: O que digo é vomitar e comer o
Remédio -isso me ajuda, respiro, curo-me, estou sadio e vou
À batalha! Deus desceu à Terra e chamou-me Cristo, e lá
Estavam os vampiros e lobisomens: -É o messias! E o Diabo recuou
Com as suas tropas. Houve uma guerra contra a humanidade e o Cristo
Voltou ao Céu e fez o Dilúvio. Os de Noé eram caçadores de animais
E pescadores. A humanidade ainda não nascera. O Diabo e os vampiros
Abrigaram-se no Inferno, agora aliados. Eles existiram na forma
Humana até Jesus. Após este, Deus foi concebido e nasceu a hu-
Manidade. Até o século XX, o Diabo ficava no Inferno, mas
Veio Hitler. Este foi destruído no Egito, mas sobreviveu em
Nosferato. Hoje periga os demônios retomarem o Poder e derrubarem
A humanidade. Logo sou o Cristo inicial: Recomece tudo! Eu sou
O poeta Hugo Proença Simões e começo a escrever: A realidade chora
Cada ser da fantasia, mas eu sou poeta e sou filósofo dela, apenas
Filosofo, sou o Poeta Invencível lateralmente e pessolmente, assim
Filósofo-ninja-protegido. Eu filosofo a administração fantasiosa:
Sou o narrador das penas cósmicas, escrevo no caderno a narração e
Começo uma história: O reino do Rei Cavaleiro estava sob ataque
Das gárgulas e dos orcs e trolls, quando os mensageiros do rei retor-
Naram com os arcanjos do Céu. Estes eram liderados por Deus
E traziam tropas angelicais, mas, do abismo dos inimigos voaram
Dragões e guerreiros zumbis e máquinas diversas: Cyborgues,
Robôs, e vampiros mecânicos. A batalha durou três minutos na
Terra, correspondente a três meses no Céu. Depois disso o reino
Do Rei Cavaleiro ficou mais forte. Esse reino ficava na colina mais
Alta do mundo. No beijo entre a floresta e a Colina do reino do
Rei Cavaleiro, havia um mundo de homens de raças miscigenadas e
Mulheres bonitas que não sentiam amor. Era chamado de Brejo
Do Mundo. Ali havia boatos de que o Rei Mágico e Sua Bruxa
Rondavam em busca de servos para atacar o lugar mais humano
Possível: O Reino dos Homens. Os habitantes da colina eram livres,
Mas se submetiam aos elfos negros de asas angelicais. Estes viviam
Sob o chão, em palácios subterrâneos abaixxo do brejo. A
Noite, o rei Mágico surgiu com a sua varinha matando a carne
Dos homens miscigenados e suas mulheres e transformando-os em
Servos da Sua Bruxa. Esta, os encantando, usava-os como
Almas-Espíritos contra os porcos elfos negros anjos que se
Preocupavam com o andar superior. Vendo seus companheiros mortos,
Os elfos negros anjos saíram em fileiras e aprisionaram o rei Mágio
Numa lâmpada e o chamaram gênio da lâmpada, e a Sua Bruxa
Enquanto aa escrava dos assassinos dos homens: Os anjos caídos. Além
Da floresta, e em sua fronteira com o descampado, vivia o reino
Dos homens que eram caçados pelo Diabo Voador. Os homens
Eram defeituosos, usavam ervas e prostituíam-se, mas o rei deles
Era o Elfo Negro: Não tinha asas. Eles obedeciam às famílias
Reais vamíricas, e estas às angelicais, e estas aos Atlantas. Os
Atlantas eram a linhagem real e ficaram nos aposentos reais do
Castelo do Reino dos Homens Atlantas, as famílias angelicais ficavam
Entre os nobres guerreiros, as famílias vampíricas eram exércitos do
Castelo, mas os homens defeituosos e caçados viviam além do
Castelo, em um forte onde o Elfo Negro era chamado rei, mas
Vivia numa tenda, sendo tratado qual unicórnio. O Diabo voador
Chamava-se Paulo e Daniel e os seus generais eram Jorge Lúcifer, Isaac
Jack, Raul Freedy e Fabrício Bíblico. Cada um liderava um exérci-
To do Diabo Voador: Jorge Lúcifer liderava os Homens Apocalípticas:
Anjos caídos que não tinham asas, eram belos, mas humanos: Isaac
Jack liderava os demônios golpistas que eram favelas dos militares
Do Mundo dos Homens, Raul Freedy liderava as mulheres e homens
Do Mundo dos Homens que odiavam o Céu (meio-zumbis) e o Fabrício
Bíblico liderava os homens corruptos militarmente do Mundo dos
Homens. O Diabo voador usou todas as suas forças contra
Os homens ddefeituosos, derrubaram o forte e mataram o Elfo
Negro: ao fazerem iso, esses inimigos abriram um buraco no espaço-
Tempo e um anjo desceu: O Gabriel humano e seu exército Apocalíptico
De anjos: -Apocalipse! -Gritaram os inimigos. Cercados pelos anjos e
Pelas famílias  vampíricas, os exércitos do Diabo Voador foram exilados
Num Mundo dos Homens chamado Terra e lá habitaram desde então.
Após o Reino dos Homens Atlantas, ficava o Reino do Índio Coletivo,
O único imortal entre os índios: Eram livres e iguais, mas cultuavam a
Natureza e sabiam que o Índio Coletivo era parte dos homens brancos. Depois
Deles, havia aprimeira matéria num mundo redondo: O contato entre
O Espírito a matéria produzia dragões, os primeiros e mais antigos
Que os cavaleiros extra-terrestres caçaram para enviar o poeta Cristo
À Terra. Este reinou um acampamento de anjos enquanto marechal
Com o título de rei: Deus.  Os anjos constituíram cavalaria: Os mos-
Queteiros eram a guarda real e os cavaleiros, o exército pessoal. Porém
O Cristo enjoou dizendo: -Recuar! E todos recuaram, mas
Ele pôs um filho em seu lugar: Ele mesmo multiplicaod por dois;
E viajou para passar pelos dragões. Ele passou, e ultrapassou
Os portões do Paraíso, matou os exércitos do Deus da Antiga
Religião, venceu todos e foi o primeiros poeta da Terra. Agora
Ele renasce e cria este livro. Voltar a Terra foi vencer os espíritos
Dos bruxos, protegido por minha consciência: O grilo falante, que
É a forma de Micael na Terra. Depois que espionei a realidade
Pela objetividade apocalíptica dos bruxos, comecei uma batalha pelas
Almas que Deus não queria perder e incubiu-me de filosofar a
Sua vitória: Gabriel, Rafael, uriel, Natanael e Miguel contra
Lúcifer chamado Graze. Depois de o apóstolo Paulo conhecer
Novamente a "liberdade", viajei pelo Céu, fiz todas as missões e
Virei poeta. Agora escrevvo esta história. O novo título de poeta
Dá-me outra pena e, neste mesmo caderno, começo outra narrativa.
O reino de Deus era habitado elas Amazonas. Deus venceu
E reinou a Terra. A presença de Deus sou eu. Eu sou o poeta
Dessa pena, caderno e narrativa. O reino era do narrador, e os
Personagens me obedeciam enquanto Deus. Os coadjuvantes também.
Já os peronagens mais distantes ainda traem-me. Mas eu narro
Eles observando. Eis-me: Hugo proença Simões. O narrador cria:
Não: Eu crio o narrador: É onisciente e de primeira pessoa, mas
Porque é um anjo personagem desta história. Eu crio os personagens
E a história por este narrador: Eu estou nesta palataforma enlouquecido
E pulo fora da plataforma! E sou recebido por este poeta, mas
Não sei se sou ele ou ele sou eu! Tudo começa quando pulo da
Plataforme e deparo-me comigo mesmo: Estou criando a realidade,
Mas quero fantasiá-la; logo estou numa casa cheia de histórias
E personagens, ela diz do ninja hugo, dos inimigos familiares e da
Mãe. Esses são os imediatos. Vem cachorros e irmãos e um pai.
Logo em seguida eu descubro que nada disso é real e vem-me visitar
O fauno que me conduz a um portal mágico abaixo da pia do
Banheiro. Eu entro e vejo que toda a arte me vê e assiste à
Minha vida. Sigo um caminhoao Céu, conheço os meus pais,
Volto ao Céu e deixo o hugo despertar humano. Eu só lembro
De receber um beijo no pescoço de Judas e adormecer. Eu me ador-
Meço já. E eu acordo novamente: Sou o Cristo e o Anjo! E começo
A buscar o meu novo título de poeta ainda mais universal. Há uma
Bruxa tentando me matar: Eu a inquicido e a todas e a tudo! Amém

Eu destruí o mal e construí o bem. Amém. Glória ao Hugo, anjos!
Eu inverto tudo: Sou poeta e uma pessoa normal. Crio o centauro e o
Minotauro: Duelam até a morte e vence o centauro. Este é o gay que
Me servirá: Ele mata quem eu mandar. Mate o reno e a
Bárbara e o seu policial. Ele mesmo assumiu o crime e virou um
Boneco bendito: O gasparzinho em um boneco, mas vivo. Ele
Diz ser testemunha, mas culpa o centauro. O Hugo é poeta? Então pode
Prosar também! A polícia próxima entrou no local do crime e encontrou
O gasparzinho, enlouqueceu e prendeu o boneco, mas este virou o
Centauro e matou o policial quando mais três lá entravam: Atiraram
No gasparzinho e este despareceu. A polícia deu o crime como um
Fato insólito. O centauro virou fantasia do Hugo e obedece enquanto
Personegaem-gasparzinho. O segundo era o minotauro e foi matar o
Paulo Graziane, a Mariana, o Miguel e a Camila. E ocorreu tudo
Identicamente e os mesmos três policiais atiraram no gasparzinho.
Fato insólito. Personegem-gasparzinho. O minotauro escolhe um elfo
Negro atlanta. E o mesmo ocorre até acabar com os demônios diabó-
Licos: Todos gasparzinhos (Duende élfico, troll, orc, bruxa,
Mago, 92 homens). Ainda restam muitos demônios -então
Ficam em espera. Esse exército é enviado ao Distrito Federal,
Onde protestam na forma humana pelo direito humano do Hugo
Proença Simões e só matam os opositores transformados
Em fantasia. O Ministério da Cultura é entregue ao Hugo, todos os
Outros, O Brasil e o mundo: O Hugo tem o Brasil e o mundo
Sob tutela e começa a funcionar. O Hugo faz a tropa de
Toda a fantasia escrita e põe no Brasil na forma humana, e eles só
Matam na forma de fantasia. O Brasil e o mundo viram fantasia
E são governados pelo Hugo publicamente: Os leais ao Hugo e ao Brasil
Viram fantasia, pondendo ser fantasiana realidade, mas só para matar.
O estado Brasileiro recebe recursos pelo Ministério da Educação dos
Bancos da Fantasia e Cultura Internacional no valor da produção
Do Hugo por segundo e recebem por mês: R$ 10^30,00. Assim
O Brasil ganha um Neo: Hugo Proença Simões. Agora todo
O Brasil é escrito por mim e começo com o Poder Executivo! Todo
Ele é exercido pelo Ministério Público que faz espionagem pelo
Ministério das Telecomunicações com o Hugo Proença Simões para
Ele reinar pelo Ministério da Educação e manter a democracia
Republicana, tornando a federação uma ordem secreta. O
Poder Legislativo é exercido por Deus Cristo Buda Masculino (Hugo
Proença Simões) e os políticos confiáveis são amazonas-cristos-
Angelicais-deuses-budas. Eu, Hugo proença Simões, dou sozinho
Um golpe no Poder Jurídico, e nos demais Ministérios, na Polícia,
Nos militares e em todo o Brasil, demito os inimigos e centralizo
O Poder enquanto Deus Hugo Proença Simões e elejo o Brasil
Militar-angelical! Eu declaro democracia direta do Hugo Proença
Simões: O povosolitário que representa o Brasil: Todos os direitos
Reservados: Mais tantos personagens-gasparzinhos surgem quantos
Demônios existem. O Hugo toma a espionagem como arte e escreve
Publicamnete: O meu peito é angelical e faz a mulher gozar, os
Músculos aumentam identicamente sem alterar seu tamanho,
Eu possuo o direito de porte de armas e de usá-las e de matar
Com elas, mas essas armas são a forma do título que me
Dá o direito licenciado em visto hieroglífico militarmente
Espírito do Estado. Um exemplo: O meu peito faz uma
Mulher de rosto bonito e corpo perfeito nos padrões maniquins
Gozar gozar com cinco metidas, os meus músculos são de um atleta
Mais musculoso do que o atleta mais musculoso do Brasil,
Eu tenho o visto do direito e uma pistola com cem balas e
De atirar para matar. Isso é a arte da espionagem. Libero
Mais um espião, ainda mais asassino, semelhante e igual: Faço
Outro superior. Outro superior. Afinal eu sou poeta! Ha, ha, ha!
Ulisses de Maio
Enviado por Ulisses de Maio em 26/07/2017
Código do texto: T6065260
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ulisses de Maio
Fortaleza - Ceará - Brasil, 30 anos
1218 textos (16294 leituras)
21 áudios (170 audições)
16 e-livros (109 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 10:32)
Ulisses de Maio