Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
                
Galinha d’água! Que d’água é?
Cozida ou assada? Do jeito que vier!
                         
 
O vento de ontem,  enchia o coração do vaqueiro com lembranças da  infância  e meninice: as noites de lua cheia no alpendre da fazenda e as brincadeiras de galinha d’água, nas enchentes do Saracura. 
João Velho atirava uma pedra no meio do rio e os meninos mergulhavam feito martim-pescador e traziam a pedra de volta, nadando com uma mão só. As meninas se banhavam vestidas noutro ponto,  retirado dali. Mas na hora de voltar pra casa. Todo mundo composto, o reencontro dos gêneros dava-se no caminho, com muita algazarra e respeito. Elas sinalizavam a  partida, no tom da conversa em voz alta,  quando se preparavam para ir embora.


**
Adalberto Lima, trecho de Estrada sem fim...
Adalberto Lima
Enviado por Adalberto Lima em 10/01/2017
Reeditado em 10/01/2017
Código do texto: T5878155
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (LIMA, Adalberto. Estrada sem fim (obra em construção)). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Adalberto Lima
Montes Claros - Minas Gerais - Brasil, 65 anos
2884 textos (366154 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/11/17 13:23)
Adalberto Lima