Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Vanessa Florencio (Apresentadora BAND PB - TV Manaíra Oficial)

Hoje temos a honra de entrevistar a jornalista, repórter e apresentadora do programa Jogo Aberto da BAND PB (TV Manaíra)Vanessa Florencio, que diariamente nos traz notícias do esporte paraibano, com grande maestria.


Vanessa, antes de tudo é um prazer poder entrevistar você para o site
recanto das letras.

1-Primeiramente obrigado pela entrevista Vanessa, como surgiu seu interesse pelo jornalismo?

 R- Olá, muito obrigada pelo convite é uma enorme satisfação.

Bem, a minha história com o jornalismo começou de fato no ensino médio, pois até então eu trabalhava como modelo lá em Natal, até que em 2009 quando terminei o ensino fundamental fui para o Rio de Janeiro fazer uma oficina de atores, quando voltei me deparei com um universo completamente diferente e vi que se realmente eu quisesse me destacar teria que estudar e me aprofundar em algo que eu realmente me identificasse, foi então que decidir pelo jornalismo, em todos os testes vocacionais e entrevistas que eu sempre dei quando modelo, me imagina trabalhando em televisão e quando fui definir minha futura profissão, não teve outra, foi amor desde sempre, não me vejo fazendo outra coisa.

2-Você fez toda sua formação em Natal, como surgiu a ideia ou convite de vir trabalhar aqui na Paraíba?

R- Me formei em Natal, na UNP, minha segunda escola foi a REDETV RN, onde comecei a trabalhar desde o primeiro ano da faculdade, passei no total 3 anos e 3 meses trabalhando lá e foi onde realmente aprendi um  pouco de tudo que sei hoje. Logo quando me formei, surgiu o convite de trabalhar na Globo de Mossoró; foi onde tive a minha primeira experiência de morar sozinha, no ano seguinte, de volta a Natal, fui conversar com um grande amigo que faz parte da TV Ponta Negra em Natal, que assim como a TV Manaíra, também faz parte do sistema opinião e em conversa com ele sobre o mercado de trabalho de Natal, falei do meu interesse em trabalhar em outros estados também, aí ele me falou que aqui em João Pessoa, uma outra emissora do sistema estava passando por reformulação e iria precisar de pessoal, mandei meu currículo e portfólio através dele e pouco depois me chamaram para fazer a proposta do programa.

3-O programa "Jogo Aberto" a nível nacional, sempre ficou marcado por ter em sua apresentação grandes musas como Larissa Erthal e Renata Fan, você já está sendo muito elogiada por seguidores como uma musa paraibana, se considera uma musa? O que é a beleza para você?

R- Pra ser bem sincera, eu jamais me imaginei trabalhando diretamente com esporte. Lá em Natal assim como Mossoró, fiz um pouco de tudo, entretenimento, jornalismo policial, político, de bancada, enfim... mas nunca tinha trabalhado diretamente com esporte, e quando surgiu o convite para o programa foi sem dúvidas um desafio e tanto, comecei a me aprofundar bastante neste universo e a Renata Fan, assim como a Larissa Erthal foram minhas referências. A beleza para mim é bem relativa e pra ela ser completa tem que vir recheada de outros conteúdos, que sem dúvidas não estão somente do lado de fora.

 4-Como é trabalhar na afiliada da BAND na Paraíba, uma TV tão nova como a TV Manaíra?

R- A BAND é uma referencia no jornalismo, no dinamismo e principalmente no esporte, é uma das emissoras que mais investe neste conteúdo e trabalhar na afiliada aqui na Paraíba com este tipo de programa é uma enorme responsabilidade, porque convenhamos, o telespectador do nosso futebol, por exemplo, é um público exigente, não se contenta com pouco, então buscamos priorizar principalmente a qualidade do nosso conteúdo, sempre pensando em quem está em casa nos assistindo. A TV Manaíra apesar de ser recente, depois da reformulação, é uma emissora que pensa grande e o objetivo é alçar cada vez mais novos voos.

5-Como foi sua experiência como produtora da INTER TV COSTA BRANCA?

R- Foi uma experiência libertadora. Saí completamente da minha zona de conforto. Primeiro no meu local de trabalho, que era algo que já estava acostumada a fazer todos os dias, há mais de 3 anos. Segundo por ser a minha primeira experiência morando sozinha, em outra cidade, trabalhando primeiro para produzir o BOM DIA RN, tendo que acordar às 4:15h da manhã. Depois tive oportunidade também como repórter, onde tive o privilegio de conhecer inúmeras histórias e crescer ainda mais profissionalmente. Foi muito gratificante.

6-Qual sua visão sobre tantas universidades pagas em todo o Brasil para cursos superiores, alguns deles de extrema importância como medicina? O dinheiro é o que vale?

R- Já fui questionada sobre isso algumas vezes. Eu me formei em uma universidade particular e agradeço imensamente, foi lá que me dediquei e aproveitei cada experiência, cada oportunidade, trabalhei bastante nos projetos de extensão que foram, sem dúvidas, a minha porta de entrada para o mercado de trabalho ainda na universidade. Posso afirmar com toda certeza, quem faz o conhecimento é o aluno, independente da universidade, quando ele tem interesse e força de vontade ele é capaz de conquistar todo conhecimento e aproveitar tudo do ensino superior em qualquer instituição.

7-Qual o maior desafio da sua profissão?

R- Acho que o nosso maior desafio é a valorização da nossa profissão pelo meio onde a gente trabalha. Digo por que muitos que estão fora, não conhecem essa profissão e tão pouco o mercado, acredita que ganhamos bem, por exemplo, quando de fato o piso salarial do jornalista é o mais defasado. E muitas vezes trabalhamos por amor mesmo, só entra nesta carreira quem ama, porque os desafios são enormes e diários.

8-Como avalia a atual situação dos esportes olímpicos no Brasil?

R- A olímpiada é um marco. Pena que só é valorizada e divulgada quando começam os jogos, quando estão todos na euforia, vendo os atletas competindo e ganhando medalhas. Por que quando acaba, ou antes, mesmo de começar, muitos não tem apoio, não tem condições, de enfrentar as dificuldades para participar de uma competição deste nível. Acho que assim como o futebol que tem a sua valorização o ano inteiro, a vida inteira, os esportes olímpicos e principalmente os atletas precisam ter mais apoio e mais dedicação por parte do poder público.

9-Qual a maior saia justa que já passou na TV?

R- Me veio algumas coisas na cabeça, mas a que me lembro com maior alegria, mas que na época foi um terror, foi minha primeira experiência em um programa ao vivo. Eu era produtora de um programa policial em Natal, só que o apresentador entrou na campanha, o Repórter foi apresentar o programa e eu fui escalada para fazer os merchans, não tinha nenhuma experiência com TP (telepromter – um equipamento acoplado às câmeras onde o apresentador lê o texto), tive um único dia de treino, no dia seguinte tive que produzir todo o programa, ele tinha muitos merchans, fiquei tão nervosa, que quase não conseguia falar, mas fiz todo o programa, foi horrível, quando acabou comecei a chorar e disse que nunca mais ia voltar lá para fazer de novo, que nada, no outro dia estava lá e fiquei até o final da campanha. Rs Foi uma saia justa mas no final deu certo.

10-Você trabalhou na Rede TV de Fortaleza e de Natal, qual a diferença entre as duas? Conte-nos um fato marcante em cada uma.

R- A experiência na RedeTV Fortaleza foi curta, fui somente tirar as férias de uma produtora de lá, um pouco antes de saí da RedeTV em Natal e me mudar para Mossoró. Lá foi bem marcante por que tudo que a gente produzia era pra Rede (Os programas nacionais), ao contrario de Natal, lá não tem programas locais, toda a demanda era para o Nacional, o que tornava a produção bem mais difícil e complexa, foram dias bem puxados, mas de muita experiência que acrescentaram e muito na minha caminhada.

11-Para quem você tira o chapéu?

R- Silvio Santos.

12-Já tentaram algum "Teste do Sofá" com você? Se sim como foi e se
não qual seria sua reação?

R- Não.

13-É a favor da pena de morte?

R- Não.

14-Qual seu grande ídolo no esporte?

R- Não tenho um ídolo em especial. Admiro os que não desistem e vão atrás dos seus sonhos e objetivos no esporte, conheci algumas histórias aqui em João Pessoa.

15-O que pensa da lei que não obriga jornalista a ter curso superior?

 R- Acredito que todo profissional que se preze precisa procurar conhecimentos, se aprimorar, e um curso superior é fundamental principalmente na nossa profissão.

16-Quais os sonhos da Vanessa como mulher e profissional?

R- Ter uma estabilidade no meu trabalho, ajudar minha família e trabalhar em São Paulo.

17-Toparia posar nua para algum site ou revista?

R- Não.

18-Defina a Vanessa em uma única frase...

R- Se Deus coloca um sonho no meu coração, com certeza eu sou capaz de realizar.


Agradeço de coração a Vanessa Florencio, apresentadora da BAND PB (TV Manaíra).

Que Deus abençoe sua carreira.

Desejo sorte e sucesso a esta simpatia em pessoa..
Helládio Holanda
Enviado por Helládio Holanda em 12/05/2017
Código do texto: T5997098
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Helládio Holanda
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 33 anos
3614 textos (121594 leituras)
101 áudios (2590 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 24/11/17 07:18)
Helládio Holanda