Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

"Coração transparente "

As gotas de lágrimas
Formaram um coração
Um coração transparente
Um coração que ama
E abriga muita gente


Um coração moldável
Um coração compassivo
Um coração, que se apertar
Solta logo um gemido


Um coração diferente
Um coração penetrante
Um coração que ao calor do amor
Derrete palpitante


      ( Scarlett)

.....................................................................................................................

                 

       Agradeço a emocionante interação do poeta PAULO DA CRUZ...



              Orvalhos d?alma
                  a  se    d
                                e
                                 r
                                  r
                                   a
                                    m
                                      a
                                       r
                                        e
                                           m
                                   
                                                 em suas madrugadas

       Nas escuras noites
            em que ela,
         pois em seu exílio
               trafega

                  De seu coração que bate... palpita... acelera...


                Todavia, não para

                     E SEGUE,

                 
                  Por que choras, ó meu triste coração

        A que permitem cair de meus olhos tantas lágrimas?

              Seria pelo cautério do viver em sua dor?

              Seria pelo gozo da descoberta do amor?

         
    E pelos caminhos
       sem limites
    em que meus pés
       deambulam

                                     Já não mais sons apenas ele emite


 
                               Mas vozes... mil vozes... milhões delas...


     No paradoxo de emoções
         a que se alternam

                                E também se cruzam... e se amam...

     A que se desenha
       e pinta a vida
 em seus movimentos

                               Mas não a enjaula numa fria moldura

                                                Ah, não!
           
                                             Não pode!

     Ainda que encarcerado,
         pois se encontra
             o coração
          em meu peito

                                   Livre está, no entanto, minh?alma


              A que voa sem medo

                     mesmo que no escuro de suas noites

   
         E não mais se abate

          Nem se queixa

                                                 E se às vezes
                                         chora pelos martírios
                                                a que sofreu


                                Risos e gargalhadas
                solta pelas alegrias do que se viveu

E aqui
    no sagrado tempo
                         aprendeu

                                               Então, chore meu coração


E jamais
        prenda
              as tuas sagradas lágrimas


                        E mostre a ti mesmo que estás vivo

                           Até porque só os vivos choram

 

                  As pedras... não são capazes de chorar...



                                      (  Paulo da Cruz )
Scarlett
Enviado por Scarlett em 10/11/2017
Reeditado em 10/11/2017
Código do texto: T6167577
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Scarlett
Arapiraca - Alagoas - Brasil
453 textos (12022 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/17 23:53)
Scarlett