Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

FRED, UM TOLO CIUMENTO... LARISSA, SUA VÍTIMA.

Olha, faz muito tempo que eu deixei de usar redes sociais de qualquer tipo, e para ser sincero, as únicas duas redes sociais que eu uso é este espaço no Recanto das Letras e o watt's up (desculpem meu preciosismo mas gosto de chamar as coisas pelo seu verdadeiro nome...).
E por que isso, por que eu optei por um certo isolamento social? Primeiro  por que eu detesto ler opiniões sem fundamentação, sem base, passionais... Coisa comum nestas redes sociais. Em segundo lugar, por que nestas redes sociais, todo mundo é feliz e "não tem problemas...", creio que, para um leitor criterioso, a mensagem já foi transmitida... E finalmente, por que, como o próprio recanto avisa, a forma como emitimos certas opiniões pode gerar conflitos. E foi justamente isso que está acontecendo-me neste exato momento!
Eu estou Indignado e postei isso no mural de hoje. Estou indignado por que há algumas semanas eu escrevi uma poesia de amor e uma mulher, já madura de seus vinte e nove anos comentou de forma muito "esfuziante", "empolgada"... Mas como o comentário a minha poesia feito por ela era acima da média, achei bacana...
Levei mais de duas semanas para agradecer ao elogio que ela havia feito a minha poesia, levei todo este tempo pois, como haviam muitos comentários, deixei para responder todos em um só momento, e assim o fiz.
Vale a pena dizer que, cada resposta de agradecimento que eu retorno eu sempre o faço por e-mail, afinal é mais prático e permite-me, responder caso a caso, sem mandar respostas padrões.
Assim eu fiz com a mulher, que aqui chamarei de Larissa. Em meu e-mail para ela, que eu só pude enviar pois era a opção de contato ativa no recanto, eu elogiei sua percepção poética e ao final, usei uma forma de despedir-me que me é peculiar a todas as pessoas... "MOÇA LINDA..."  Em uma época de "empoderamento feminino, em uma época em que as mulheres são, ou não deveriam ser propriedade de ninguém, a saudação não ofende a ninguém e nem muito menos deveria ter causado ofensa e indignação em seu namorado... Mas creiam, causou!
Chamarei-o aqui de Fred. Fred, que eu não o conheço, que não mora no mesmo Estado que eu, Que eu nada sei dele, ao menos por hora, simplesmente respondeu ao e-mail que eu respondi agradecido a Larissa no lugar dela! Isso mesmo, ou ele invade a privacidade dela ou ela cede parte de sua liberdade e independência a seu namorado, optando por viver uma verdadeira relação abusiva!
Em sua resposta, usando o e-mail da Larissa, Fred, em um comportamento totalmente inseguro e tolo, sutilmente usou de um tom ameaçador e pediu-me que não usasse o e-mal para falar com a sua namorada... Aliás, ele escreveu exatamente assim: * minha namorada* e de preferência, que não comentasse mais as poesias dela! Como assim??? O cara tem uma namorada poetisa e não quer que as pessoas comentem?! Eu só posso achar que este homem é doente...
Eu tenho tentado buscar da parte dele uma retratação, mas o mesmo deve ter nascido em um estábulo pois ainda não entendeu que ele errou e ofendeu-me, portanto, deve-me desculpas!
Mas pedir desculpas é coisa de homem, de homem de coragem de admitir seu erro... Só que ele deve lembrar que, somos ambos nordestinos, eu não sei do que ele é capaz, mas eu sei do que eu sou!
Então que fique aqui duas informações importantes: Depois diste episódio triste e ainda com consequências a desenrolar-se, as quais eu sinceramente não sei o limite, eu não ouso mais responder a comentário de ninguém a meus textos... Eu não gosto de confusão mas se eu entrar, só saio morto.
A outra, vai para você mulheres inteligentes que vivem relações abusivas, saim delas... Um homem como Fred, se é capaz de se doer com tão pouco, é capaz de coisa pior com sua "propriedade".
Gustavo Miranda
Enviado por Gustavo Miranda em 20/03/2017
Código do texto: T5946681
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Miranda
Natal - Rio Grande do Norte - Brasil, 47 anos
484 textos (2658 leituras)
1 áudios (16 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 30/03/17 21:35)
Gustavo Miranda

Site do Escritor