Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Simbolismo do Natal – Abordagem Filosófica

O Simbolismo do Natal – Abordagem Filosófica

Esse texto são anotações minhas feitas durante uma palestra de uma filósofa de Brasília. São palavras dela e meu conseqüente desenvolvimento sobre o tema abordado.

          Abordaremos aqui o presente tema focado em 3 aspectos: o mitológico, o simbólico e o rito. Geralmente o nascimento dos grandes mestres, como foi o de Jesus, está rodeado de mistério e magia. Em relação ao aspecto mitológico, o fato do nascimento de Jesus ser celebrado no dia 25 de dezembro, para o hemisfério norte, é o início do solstício de inverno, onde as noites são mais longas e os dias mais curtos. É o apogeu da noite, dos mistérios. Quando estamos voltados em torno de uma fogueira, a noite, nos confraternizando, isso está ai muito do simbolismo do natal. O São João, as festas juninas no nordeste do Brasil, é um natal disfarçado. O pessoal do nordeste tem até o costume de dizer: “Feliz São João”. Nossas festas juninas são uma espécie de natal.
           O fato da imagem do natal ser o menino Jesus ter nascido de um virgem, que era Maria, simboliza pureza, que é purificada com a luz da sabedoria. Fazendo uma analogia ao mito da caverna de Platão, Jesus é o reflexo da luz do sol na caverna. É aquele que desceu de volta para a caverna para salvar a humanidade da escuridão da ignorância. O próprio nascimento de Jesus é um presente para a humanidade. E entre os antigos, era costume presentear o outro no dia do aniversário, com uma vela, pois significava que aquele cidadão trouxe mais luz para a humanidade, mais um ano de luz. No caso da purificação, o natal e outras confraternizações é uma oportunidade de reatar as alianças entre os amigos e familiares. É uma oportunidade de encontrar uma virtude em nós e no outro. Um presente pode ser um símbolo disso. A oportunidade de dar o melhor para a pessoa. Se tirar toda a parafernália do natal, todo o comércio, e não ficar nada, não ficar o clima de natal, é por que já não existia natal. Os três presentes que Jesus recebe dos 3 reis magos, simbolizam: o ouro, que simboliza que ali nasceu um homem de ouro, onde há ouro no seu coração, está ligado mais ao lado mitológico, espiritual. O incenso que é mais sutil está ligado mais ao lado psicológico, e na antiguidade entre os pagãos se ascendia incenso para os Deuses, então simboliza também que ali estava nascendo uma divindade. E a mirra está ligada mais ao mundo físico, ao rito, e também pode significar ao final da vida de Jesus, ao sofrimento que ele ia passar, já que a mirra é uma erva amarga. O presente é símbolo de generosidade.
             Com relação ao papai Noel, são algumas estórias que temos para contar. Na tradição celta existia um velhinho que era o “Ancião dos dias” que percorria as regiões frias e presenteava as pessoas, sendo esse ancião vestido de vermelho, que simbolizava o fogo combatendo o frio do coração dos homens. Outra história é que era um velhinho da época do império romano que entregava presentes. Outra estória é de origem cristã: um velhinho vendo que um pai não conseguia casar suas filhas por causa do dote, a cada véspera da filha se casar, o velhinho escondido jogava um saco de moedas no quintal da casa do pai das mulheres. Na terceira vez, descobriu-se quem era o velhinho. Depois esse velhinho entrou para a igreja e virou santo: São Nicolau. E suas sacolas de moedas foram substituídas por sacolas de presentes.
A árvore de natal é que é uma árvore da vida, em que as bolas de natal podem simbolizar os planetas, e a árvore o cosmos. As raízes estariam voltadas ao eu espiritual, e os galhos seriam o mundo manifestado. O pinheiro tem uma forma de cone, que pode ser representada como uma espiral e que na ponta da espiral, da árvore de natal, é colocado uma estrela. A estrela de cinco pontas que simboliza o próprio homem. Outra versão diz que certos povos, provavelmente celtas, adoravam o carvalho, e um bispo cristão tentou acabar com esse culto até que um dia caiu um raio e partiu o carvalho em 4 pedaços, e um pequeno pinheiro que estava ao lado do carvalho e sobreviveu ao raio, foi posto pelo bispo como a árvore de natal.
          Os gregos viam o homem em 3 partes: uma espiritual, outra psicológica e outra física. O ideal está na parte espiritual, são os modelos perfeitos. O símbolo pertence ao mundo psicológico que faz a ponte entre o espiritual e o mundo físico. E o físico é o rito, que está relacionado com as festas e confraternizações. O mito estaria relacionado ao mundo espiritual. A vinda de Jesus ao nosso mundo simboliza a luz da sabedoria que para nós é passado através da filosofia. Os 3 reis magos eram astrólogos e/ou astrônomos. O fato de ter um boi e um jumento perto de Jesus quando ele nasceu para Santo Agostinho simboliza que o boi, simboliza o mundo judaico, e o jumento, como nasce de relações impuras, simboliza o mundo pagão. E os dois presentes no nascimento de Jesus simbolizam que Jesus tanto veio para salvar os judeus, como para salvar os pagãos. Já na tradição hindu, o boi estaria relacionado a família do touro, da impulsividade, e o jumento relacionado a passividade, e Jesus seria o equilíbrio entre a impulsividade e a passividade. A idéia de Jesus pelo fato de ter nascido de um virgem, que era Maria, simboliza, como já disse, a pureza, que traduzindo para nós como símbolo é a purificação, e assim temos a possibilidade de nos reunir em família, ai entra o rito. E como Jesus disse: “Minha família são todos aqueles que fazem a vontade de meu Pai que está no céu.” Tem certo filósofo que diz que: “Se tirar tudo do homem, e não ficar nada, é por que não existia homem ali.” Mesma coisa com o natal, como já disse.
        Até uma crise que em grego quer dizer “mudança” pode simbolizar um presente caso você cresça com a crise.
          Na Tradição hindu, ver-se o homem sobre 7 aspectos: 3 espirituais, e 4 próprio da personalidade. A vela pode simbolizar isso, em que o corpo da vela é nossa personalidade que vai se derretendo com o passar dos anos e o fogo é nosso lado espiritual. Lembremos que o mais importante é que épocas de festas, como o natal e réveillon, são épocas boas para a reflexão.

Autor: Victor da Silva Pinheiro

www.vspinheiro13.blogspot.com
www.recantodasletras.com.br/autores/vspinheiro13
www.youtube.com/victorgeo10
Victor da Silva Gasparzinho Pinheiro
Enviado por Victor da Silva Gasparzinho Pinheiro em 09/10/2017
Reeditado em 09/10/2017
Código do texto: T6137332
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Victor da Silva Gasparzinho Pinheiro
João Pessoa - Paraíba - Brasil, 33 anos
29 textos (271 leituras)
9 áudios (56 audições)
3 e-livros (17 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 17:06)
Victor da Silva Gasparzinho Pinheiro