Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Mi chiamo Bond, Vaga Bond

E daí? Tem coisa melhor pra fazer não? Sai! Xô! Xô! Vá sentar praça em outra praça! Num tá vendo que aqui já tem gente não? Levanta você! Estou velho; não consigo levantar mais nada, nem bengala. Ai meus tempos de espião...
Já tive muitos carros, dinheiro, brinquedos e mulheres. Ai, as mulheres... Tão bonitas que dava dó não se aproveitar. Algumas foram mortas, outras se mataram e umas mais loucas ainda tentaram ME ma-tar! Diziam que no fundo eu não gostava de mulheres. Mas que maldade! Se elas vinham a mim, por que rejeitar? Que crime é esse afinal de contas que feministas dizem que cometi? Todas as mulheres que a mim vieram receberam o que procuravam: uma noite de ‘amor’, ou quando muito poucas horas -- Mais? Juro que não tinha para dar... -- Até que veio a Vespa, aquela miserável! Não falo dos mortos. Bem ou mal não convém deles falar. Cicatrizes no meu corpo a cada reencarnação há muitas. Já fui moreno. Hoje sou calvo louro ou loiro. Tanto faz! E pela idade que tenho duvidam muitos que eu seja mesmo capaz de fazer o que de mim ouvi falar. Até eu mesmo! De tanto Martini tornei-me alcoólico e agora me encontram pelas ruas a vagabundear. As mulheres, ao me verem, balançam os ombros, dão-me as costas e, rebolando vão-se embora. E eu, velho e triste, desejo ver minhas lembranças no requebrar daquelas ancas desaparecer. Null, Null, Sieben-Seven-Sete... No fim dos dias só o Null.


Da série Contos Malandrinhos

----------------------------
Revisado em 18.09.2010
Helena Frenzel
Enviado por Helena Frenzel em 02/03/2010
Reeditado em 18/09/2010
Código do texto: T2115942
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Para ter acesso a conteúdo atual aconselha-se, ao invés de reproduzir, usar um link para o texto original.). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Helena Frenzel
Alemanha
487 textos (35971 leituras)
47 áudios (2322 audições)
45 e-livros (1908 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/07/17 05:47)
Helena Frenzel