Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Zé Curto

Conheci um cara que se chamava Zé curto era domador de cavalos este cara era muito caborteiro  e ginete barbaridade, valentão andava sempre com um naife na cintura e cortava barbaridade. (para quem não conhece naife é uma faca volteada usada para carnear). As mão deste Zé era todas cheias de calo de tanto golpear cavalos, então ele sacava a faca da cintura e cortava as suas próprias unhas e emparelhava os dedos e as mãos, este cara era muito louco, lá na fazenda aonde ele trabalhava tinha um cara quê chamavam de coronel, este Zé curto mandava sentar num banco e sacava o naife é aparava a barba do coronel e o coronel dizia: “Para   Zé, tá doendo” e o Zé respondia: não está doendo não. Era muito cruel este  Zé curto.
Ze Curto contava quê foi criado numa  fazenda na barra do Ribeiro. Um certo dia o dono da fazenda   que se chamava Silvano fez uma festa de aniversário e convidou  o  Zé curto e o irmão dele que se chamava Capuchinho para arrumar as mesas e almoçar. Almoçaram e  começou  a beberagem, o Zé e o irmão dele encheram a cara e começaram dizer besteira boca fora. Silvano encabulado com a situação e além disso estava com  visitas, só restou foi mandar eles emborara. Eles foram lá para os galpões onde eles paravam. No dia seguinte bem cedo o Silvano e o filho de aproximadamente 12 a 13 anos foram lá nos galpões de camionete chamar a atenção dos irmãos que tinham feito aquele escandalo. Os irmãos ficaram furiosos e retrucaram, pois era uns  caras muito fortes e violentos e partiram de facas para cima do Silvano. O Silvano que atirava muito bem e naquela época andava sempre armado arrancou o 38  e mandou bala. Atirou no peito do capuchinho que atravessou o coração e o Zé curto atirou também no peito e a bala recorchetou e saiu no cotovelo, pois ele estava com corpo oitavado no momento em que ele atirou. Os irmaos terminaram dando uma facada na barriga do  Silvano que cortou todos os tripeiros, mas o Silvano com a ajuda do filho conseguiu embarcar na caminhonete e o filho tentou socorrer, mas morreu no caminho.
 O capuchinho morreu ali mesmo e o Zé curto saiu com vida.   Este causo é verdadeiro e eu me pergunto como um homem que todos que conheciam dizem que o Silvano apanhava laranja atirando de 38 e foi errar tantos tiros. Ele descarregou o revólver atirando nos irmãos.

Pedro Adiles
Enviado por Pedro Adiles em 14/11/2017
Código do texto: T6171810
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Adiles
Terra de Areia - Rio Grande do Sul - Brasil, 70 anos
9 textos (137 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/11/17 00:32)
Pedro Adiles