Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
RITA PAVONE
 
Nascimento
 
Rita Pavone nasceu em Turim, Piemonte, no dia 23 de agosto de 1945.
 
Vida artística
 
Cantora italiana, conquistou grande popularidade na década de 1960 e também atuou como atriz. Devido aos seus cabelos vermelhos, na Itália, foi apelidada de "pel di carota" ("cabelo de cenoura"). Foi descoberta em 1962, pelo primeiro representante e depois marido Teddy Reno. Entre suas músicas mais conhecidas estão: "La partita di pallone" (1963), "Cuore" (1963) e "Qué me importa del mundo" (1964).
 
Fama internacional
 
Rita Pavone foi uma das poucas intérpretes italianas a ser conhecida internacionalmente: famosa no Brasil, Argentina e outros países de língua espanhola e na Alemanha, é uma das poucas intérpretes italianas a entrar nas paradas britânica e americana com "Remember me" ("L'amore mio"), de modo que, de 1965 até 1967, era frequentemente convidada para o Show de Ed Sullivan.
 
Final da vida artística
 
Depois de uma vida de concertos em várias partes do mundo, Rita anuncia no primeiro dia de 2006 que deixa definitivamente os palcos e canta pela última vez em público.
 
Vida política
 
Nas eleições legislativas italianas de 2006, Rita candidatou-se a uma vaga no senado italiano, disputando pela circunscrição dos italianos no exterior, não sendo eleita.
 
Vida atual
 
Rita Pavone participa de programas na TV Italiana com frequência. Mora em Chiasso, no cantão de Ticino, Suíça e possui uma segunda residência em Ariccia, distante 28 km de Roma.
 
Seus dois filhos também moram na Suíça. Alessandro é apresentador de um programa na TV Suíça-Italiana e Giorgio é guitarrista e cantor de rock.
 
Site Oficial de Rita Pavone:
http://www.ritapavone.it
Twitter Oficial de Rita Pavone:
https://twitter.com/rita_pavone_
@Rita_Pavone_
 
 
Datemi Un Martello
Rita Pavone - 1964

 
Datemi un martello.
Che cosa ne vuoi fare?
Lo voglio dare in testa
A chi non mi va, sì sì sì,
A quella smorfiosa
Con gli occhi dipinti
Che tutti quanti fan ballare
Lasciandomi a guardare
Che rabbia mi fa
Che rabbia mi fa
 
Datemi un martello.
Che cosa ne vuoi fare?
Lo voglio dare in testa
A chi non mi va, eh eh eh
A tutti le coppie
Che stano appiccicate,
Che vogliono le luci spente
E le canzoni lente,
Che noia mi dà, che noia mi dà
 
E datemi un martello.
Che cosa ne vuoi fare?
Per rompere il telefono
L'adopererò perché sì!
Tra pochi minuti
Mi chiamerà la mamma,
Il babbo ormai sta per tornare,
A casa devo andare, ufa,
Che voglia ne ho, no no no, che voglia ne ho
 
Un colpo sulla testa
A chi non è dei nostri
E così la nostra festa
Più bella sarà.
Saremo noi soli
E saremo tutti amici:
Faremo insieme i nostri balli
Il surf il hully gully
Che forza sarà...
 
Il ballo del mattone
Rita Pavone - 1963

 
Non essere geloso se con gli altri ballo il twist
non essere furioso se con gli altri ballo il rock
con te, con te, con te che sei la mia passione
io ballo il ballo del mattone.
 
Non provocar la lite se con gli altri ballo il twist
non provocar scenate se con gli altri ballo il rock
con te, con te, con te che sei la mia passione
io ballo il ballo del mattone
 
Lentamente, guancia a guancia
io ti dico che ti amo
tu mi dici che son bella
dondolando, dondolando sulla stessa mattonella
 
Non essere geloso se con gli altri ballo il twist
non essere furioso se con gli altri ballo il rock
con te, con te, con te che sei la mia passione
io ballo il ballo del mattone
 
Lentamente, guancia a guancia
io ti dico che ti amo
tu mi dici che son bella
dondolando abbracciati sulla stessa mattonella
 
Non essere geloso se con gli altri ballo il twist
non essere furioso se con gli altri ballo il rock
con te, con te, con te che sei la mia passione
io ballo il ballo del mattone
 
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Enviado por Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz em 08/09/2017
Código do texto: T6108453
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Livros à venda

Sobre a autora
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz
Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Brasil
2165 textos (251332 leituras)
2 áudios (122 audições)
26 e-livros (2946 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/17 05:00)
Sílvia Mota a Poeta e Escritora do Amor e da Paz

Site do Escritor