Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Autores

Sobre o autor
Onofre Ferreira do Prado
Brasília - Distrito Federal - Brasil
454 textos (72654 leituras)
1 áudios (361 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/09/17 06:14)
Onofre Ferreira do Prado

Textos do autor
Áudios do autor
Perfil
Pertence à Associação Nacional de Escritores, com sede no Edifício Escritor Almeida Fischer - SEPS EQS 707/907 Bloco F, CEP - 70390-078  (Plano Piloto - Brasília - DF).

Eleito em novembro de 2013 para ocupar a cadeira 40 da Academia de Letras do Brasil, seccional do Estado de Minas Gerais, com sede na Rua Gonçalves Dias, 880, 2º andar, Bairro Funcionários - Savassi, Belo Horizonte, tomando posse no dia 14 de dezembro de 2013, em solenidade no auditório da Assembleia Legislativa de Minas Gerais.

Como convidado frequenta a Academia Mineira de Letras, na Rua da Bahia, 1466 - Bairro de Lourdes, Centro - Belo Horizonte (MG).

O fascínio pelas Letras remonta à juventude, quando já escrevia os seus primeiros textos.
Estudioso da literatura clássica à contemporânea, estudando em silêncio e sozinho, dando prosseguimento à sua formação intelectual como autodidata. 
                                                                  
Autor dos Hinos da APAE e do Autodefensor da APAE da cidade em que nasceu (Buritis (MG).
Autor de três livros. O 4º livro em construção. Vários textos publicados em jornais e na internet.

Referências:
*Referências bibliográficas e documentais, Entorno que Transborda, coordenação da Profª. Drª. Maria Thereza Ferraz Negrão de Mello, Brasília: Petrobras, 2006;
*Citado no livro Sorriso da Natureza, do esccritor Jaques Valadares (Joaquim Romeu Valadares do Prado), Unaí: OGP Gráfica e Editora, 2011; 
*Citado no Dicionário de Escritores de Brasília, 3ª edição, do escritor Napoleão Valadares, Brasília: André Quicé Editor, 2012;
*Citado no Blog de Notícias do Jornalista João Carlos Amaral - Belo Horizonte;
*Citado na Revista Biografia, pelo editor, escritor, antologista e promotor cultural -  Daufen Bach;
*Citado no site Literatura de Minas Gerais - Representação e Poesia, coordenação da escritora e profª. Drª. Maria Generosa Ferreira Souto;
* Citado no Portal de Poesias, pelo escritor e professor Dr. Antonio Miranda da Universidade de Brasília - UnB;
* Biografado na WIKIPÉDIA - A enciclopédia livre;
* Biografado na categoria: Escritores de Minas Gerais;
* Biografado na categoria: Naturais de Minas Gerais;
* Biografado na categoria: Naturais de Buritis (Minas Gerais);
* Biografado na categoria Buritisenses notáveis, na página Buritis (Minas Gerais), WIKIPÉDIA - A enciclopédia livre.

A literatura deve tirar o chão que pisamos, por causa de sua ousadia. Tudo é válido...afinal são personagens de papel...são vidas de papel...são tempo e espaço de papel...(Professora Generosa Souto).

Valorizando o livro:
(Trecho do discurso de posse à Academia Brasileira de Letras - ABL, proferido pelo escritor e professor Dr. Antonio Carlos Secchin).

..."O mármore, o cimento e o bronze não são os melhores materiais para imortalizar um escritor. O grande monumento que se pode erguer à sua memória é de natureza mais modesta e frágil, cabe na palma da mão. Esse monumento, que em sua precariedade física se sobrepõe a todos os outros, se chama livro. E o maior tributo que se presta a um autor consiste em repô-lo sem cessar na vida, através das reedições que o fazem perpetuamente contemporâneo de novos leitores".

Meu Epitáfio


         Epígrafe:
        "Não morrerão, porém, tuas sementes!
         E assim, para o Futuro, em diferentes
         Florestas, vales, selvas, glebas, trilhos,
         Na multiplicidade dos teus ramos,
         Pelo muito que em vida nos amamos,
         Depois da morte inda teremos filhos!"
         (Augusto dos Anjos - Vozes da Morte)

Meu Epitáfio
[Onofre Ferreira do Prado]
         
Quando a treva encobrir a claridade,
Quando o tempo crestar meu rosto imerso
E uma voz se calar na imensidade -
Serei rocha, empedrado no Universo!

Tardes eras, do tempo sem idade, 
Mesmo longe e de tudo mais disperso, 
Não morrerá, porém, uma saudade,
Na forma mais dulcíssima de um verso.

Ao desligar do mundo que vivi,
Distante das alegres primaveras,
O meu nome inda há de ficar aqui!

E enquanto houver na terra descendentes,
Devo ainda existir em outras eras,
Noutras vidas em forma de sementes!

(Cora Coralina e Auta de Sousa escreveram o seu Epitáfio (inscrição tumular), a exemplo de tantas outras pessoas. Eu também cuidei de escrever o meu, consciente dessa realidade inevitável, que faz parte do ciclo biológico. Mais cedo ou mais tarde, todos nós deixaremos esta vida física para dar um passo à eternidade. 
Não deveria ser só assim, mas é nesta hora que todos os homens se igualam.)
       [Onofre Ferreira do Prado]

Dentre tantos autores, sou leitor das obras de:
* Adelino Fontoura;
*Alvarenga Peixoto;
*Álvares de Azevedo;
*Augusto dos Anjos;
*Augusto de Lima;
*Auta de Sousa;
*Basílio da Gama;
*Carlos Drummond de Andrade
*Cecília Meireles;
*Charles Baudelaire;
*Clarisse Lispector:
*Cláudio Manuel da Costa;
*Edgard Allan Poe;
*Emílio de Meneses;
*Fernando Pessoa;
*Florbela Espanca;
*Francisca Clotilde;
*Francisca Júlia;
*Franz Kafka;
*Gregório de Matos;
*Guilherme de Almeida;
*Italo Calvino;
*Luís Vaz de Camões;
*Machado de Assis;
*Manuel Maria Barbosa du Bocage;
*Napoleão Valadares;
*Olavo Bilac;
*Tomás Antônio Gonzaga;
A lista, enfim, é copiosa que nem caberia aqui. _

O melhor agradecimento a todos que me derem a honra da visita.








Contato com o autor pelos e-mails:
pradoferreira46@hotmail.com 
onofreprado2012@gmail.com


Última atualização em 23/09/17 06:14