Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Diário de Porto Alegre: 190 anos


       
"Onde a imprensa é livre e todo homem é capaz de ler, tudo está a salvo."
 Thomas Jefferson (1743-1826)
                                                                                           
                                                                                       
     Neste ano de 2017, a imprensa gaúcha completou 190 anos de existência. No dia 1º de junho de 1827, começou a circular o “Diário de Porto Alegre”, o primeiro jornal da Província de São Pedro (RS). Criado sob a proteção do presidente, o brigadeiro Salvador José Maciel (1781-1853), era impresso em duas páginas e media 13 x 29 cm. De circulação diária, com exceção dos domingos e feriados, o título do periódico foi uma homenagem a capital gaúcha. O jornal começou a ser vendido a 40 réis na loja de José Justiniano de Azevedo, estabelecido à Rua da Praia nº 85, atual Rua dos Andradas.
   
     A circulação do “Diário de Porto Alegre” se tornou possível devido à participação dos franceses Dubreuil e Estivalet, respectivamente impressor e tipógrafo, em seu país de origem, que desertaram, durante a Guerra da Cisplatina (1825-1828), das tropas do Gen. argentino Carlos Maria de Alvear (1789-1852). Segundo o primeiro cronista de Porto Alegre, Antônio Álvares Pereira Coruja (1806-1889), os soldados franceses apareceram na Província “ainda de fardeta argentina“.
   
     O primeiro redator e administrador do jornal foi João Inácio da Cunha, seguido por Vicente Ferreira Gomes (1805-1837), cuja alcunha era “Carona”. Este último - jornalista de ideias liberais - foi biografado, de forma brilhante, pela jornalista Célia Ribeiro no Livro “O Jornalista Farroupilha / Vicente Ferreira Gomes“ (2012). O periódico trazia, em suas páginas, atos oficiais do governo da Província, notícias acerca do comércio e navegação e anúncios variados, incluindo os de venda e aluguel de escravizados.
   
     Na realidade, o primeiro prelo a funcionar, na então Província de São Pedro do Rio Grande do Sul, foi a Imperial Tipografia do Exército, trazida do Rio de Janeiro pelo Marquês de Barbacena (1772- 1842), que acompanhava as forças sob o seu comando na Guerra da Cisplatina (1825-1828). Esta imprimiu apenas dois boletins de guerra e uma proclamação, pois durante a Batalha do Passo do Rosário, em 20 /02/1827, foi apreendida pelas forças inimigas.
   
      A Tipografia Rio-Grandense, responsável pela impressão do Diário de Porto Alegre, localizava-se na Rua da Igreja nº 113, atual Duque de Caxias. Comprada, em 1821, por meio de subscrição pública, no Rio de Janeiro, sob o patrocínio do governador Carlos de Saldanha de Oliveira e Daun, esta chegou a Porto Alegre, no dia 04 de agosto de 1822, a bordo do bergantim Reino Unido. De acordo com Sérgio da Costa Franco, em seu livro lançado, em 2012, “Porto Alegre Ano a Ano / Uma cronologia histórica 1732/1950”, passaram-se cinco anos, para que, finalmente, o prelo imprimisse nosso primeiro jornal, que circulou até 30 de junho de 1828, totalizando 292 edições.
   
     Esta demora é atribuída, por alguns pesquisadores, ao fato de que não havia ninguém, na Província, capacitado para colocar em funcionamento o mecanismo tipográfico.       Outra explicação quanto ao atraso, em publicar o nosso primeiro jornal, justifica-se pela prisão, por motivos políticos, do governador e seu envio para o Rio de Janeiro.
   
       A história do surgimento da imprensa no Rio Grande do Sul esteve, por longo tempo, envolta de equívocos históricos, que somente, em março de 1941, a partir da publicação do trabalho, “A origem da Imprensa no Rio Grande do Sul”, do pesquisador e jornalista Nestor Ericksen, na Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande Sul, ano XXI, puderam ser elucidados por meio de fontes fidedignas.
   
       Infelizmente, de acordo com a pesquisa de Ericksen, uma coleção completa do Diário de Porto Alegre, doada pelo Dr. Alfredo Varela (1864-1943) para o Arquivo Histórico do Estado, encontra-se desaparecida desde os anos 70, embora os procedimentos jurídicos de averiguação, que, na época, foram devidamente efetivados.
                                                           
         Pesquisador e coordenador do setor de imprensa do Musecom *

   Bibliografia :
    ERICKSEN, Nestor. O Sesquicentenário da Imprensa Rio-Grandense. Porto Alegre:  Sulina, 1977.
    FRANCO, Sérgio da Costa, ROZANO Mário (org.) Porto Alegre Ano a Ano/ Uma cronologia histórica 1732/ 1950. Porto Alegre: Letra & Vida, 2012.
   MIRANDA, Marcia Eckert; LEITE, Carlos Roberto Saraiva da Costa. Jornais raros do Musecom: 1808-1924. Porto Alegre: Comunicação Impressa, 2008.
   VIANNA, Lourival.  Imprensa Gaúcha (1827-1852). Porto Alegre: Museu de Comunicação Social   HJC, 1977.
Carlos Roberto da Costa Leite
Enviado por Carlos Roberto da Costa Leite em 12/08/2017
Código do texto: T6081619
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Pesquisador e funcionário público). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Carlos Roberto da Costa Leite
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
52 textos (2303 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 18:03)
Carlos Roberto da Costa Leite