Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A POESIA NÃO ESTACIONA

A poesia quando não usada pode enferrujar

P arada esperando se exposta não pode ficar
O tempo e a hora passa e tudo muda de lugar
E stacionada só a esperança de quem quer amar
S into muito amiga, mas o mundo tem que girar
I gual o seu amor desprezado não pode continuar
A minha poesia é como uma folha solta pelo ar

N unca ficará imóvel esperando a morte chegar
A ssim como a sua paixão por ele a se desbotar
O vento sopra para leve e solto o pássaro voar

E ntão a poesia como seu sonho não pode parar
S into muito se para alguém você quis ela ofertar
T enho visto que seu amor ele não quer valorizar
A mor abandonado em cinzas pode se transformar
C omo um barco no mar a poesia segue a velejar
I nfelizmente seu amor como uma flor a murchar
O lho e me dá pena de ver a solidão a lhe castigar
N ão se pode por alguém um sentimento sufocar
A minha poesia não para e por ninguém vai esperar
Miranda de Moura
Enviado por Miranda de Moura em 13/11/2017
Código do texto: T6170445
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Miranda de Moura). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Miranda de Moura
Guarulhos - São Paulo - Brasil, 48 anos
1340 textos (22510 leituras)
29 e-livros (368 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/11/17 16:46)
Miranda de Moura